quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Impeachment ou renúncia de Dilma, com aliança de Temer e tucanos, favorece projeto Lula 2018


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Só inocentes não enxergam que o impeachment ou renúncia da desgastada Dilma Rousseff são manobras que têm um grande beneficiário e interessado imediato: Luiz Inácio Lula da Silva. O chefão $talinácio aposta no fracasso e inviabilidade de uma (cada vez mais provável) gestão Michel Temer (ou de qualquer outro, se o vice também acabar impugnado por alguma denúncia grave ou por condenação da chapa vencedora em 2014). Lula só não tem certeza absoluta do momento exato para Dilma sair, permitindo um retorno nada triunfal e muito arriscado dele e do PT ao papel de "franco-atiradores" de "oposição". É uma piada-séria!

Dilma fica mortinha da Silva a cada segundo. Grande parte dos problemas é culpa dela própria. Sua ira incontrolável e a incapacidade de diálogo político transformou o que deveria ser um complicado "governo de coalizão" em um "desgoverno de colisão" - na base da guerra de todos contra todos. Sintoma desta incapacidade de aglutinar apoios foi a derrota de ontem na votação secreta para a Comissão do Impeachment, na Câmara dos Deputados.

Parlamentares anti-Dilma formaram uma chapa e venceram de goleada: 272 votos contra e apenas 199 a favor. Sorte da Dilma que o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, suspendeu a eleição da comissão, até dia 16, quando o plenário da corte julgará um recurso do PC do B para anular a votação secreta e formação da chapa alternativa de "oposição" ao desgoverno e em favor do impedimento da Presidenta. Até quando o Executivo continuará sendo salvo das manobras do Legislativo pelo Judiciário? E fica no ar a dúvida se haverá recesso parlamentar ou não - aumentando a agonia do Palhasso do Planalto.

Dilma já era há muito tempo! Michel Temer, rompido pessoalmente com ela, conspira abertamente. Eles se encontram nesta quarta-feira. Tardiamente, vão discutir a (péssima) relação... A contundente cartinha, feita para vazar, foi uma tentativa de habeas corpus político, para se livrar das amarras e contaminações de uma impopular Dilma que odeia Temer e os principais parceiros dele, já autoescalados ministros do eventual velho-novo desgoverno: José Serra, Nelson Jobim, Moreira Franco. O vice também escuta muito os conselhos de um grande amigo: Jacob Goldberg, estrategista de movimentos na Era Transmídia. FHC também já teria dado seus pitacos sociológicos ao "presidenciável". Temer também já recebeu o apoio das diretorias do Bradesco e do Itaú. Sinal de que não mexerá na política econômica de forma radical - o que confirma a tese de que ele é "mais do mesmo".  

Tudo isso é ótimo para quem? Lula... Vamos desenhar, para facilitar a compreensão e a profunda reflexão das pessoas de bem, para não se arrependerem, em futuro próximo, dos equívocos de avaliação. Repetindo, por 13 x 13: Lula é o grande beneficiário da cassação ou saída (nada espontânea) de Dilma Rousseff. A cúpula da Petelândia sabe perfeitamente disto. Do contrário, já teriam promovido o massacre de Michel Temer Lulia - aquele que oferece o perigo mais imediato ao mandato da Presidenta, por ser o imediato na linha de sucessão dela.  

Quem conhece o PT de longa data, sabe muito bem que eles adoram as práticas dos dossiês (verdadeiros ou falsos), do ataque feroz à honra e a credibilidade de seus adversários políticos. Como chegou a lembrar, certa feita, o falecido caudilho Leonel Brizola (ídolo da Dilma), Lula e o PT são capazes até de pisar no pescoço da mãe de quem os desafia ou contraria. Pois bem e para piorar, tem outro detalhe. A crise econômica no Brasil não tem solução de curto prazo pois os erros, desmandos e roubalheiras generalizadas promovidas nos últimos 13 anos deixam sequelas difíceis de serem curadas ou resolvidas rapidamente.

Os anos de 2016 e 2017 serão muito difíceis para a população, para as famílias brasileiras e para as empresas brasileiras. Como Dilma continuando no Palácio do Planalto, todo esse desgaste ficará com o Poder Executivo, comandado pelo PT. A desmoralização dela não vem de agora. A companheira Dilma quase não se reelegeu Presidenta, pois teve que ficar a campanha toda defendendo o seu governo.

Qualquer um que conhece um pouco de política sabe que é muito mais fácil fazer campanha eleitoral na ofensiva, fazendo promessas – na maioria das vezes sem a menor intenção de cumpri-las. É assim que Lula prefere operar. Como o gênio $talinácio voltaria ao poder em 2018 tendo que defender quatro anos de caos na economia, na saúde, na educação, nos transportes, além da roubalheira generalizada nas estatais e nos altos escalões políticos, seja do PT ou do PMDB?

Improvável e impossível. A última pesquisa eleitoral deu conta de que ele, o mito decadente Lula, é rejeitado por 47% dos eleitores. Agora, o jogo pode mudar se o senhor Temer, junto com os "primos" do PSDB assumirem o Poder Executivo e ficarem com a bomba no colo até 2018. Neste cenário, o companheiro $talinácio seria candidato de oposição, podendo fazer promessas, promessas e mais promessas. Nesta mesma linha, taticamente, os petistas não soltariam os dossiês contra aqueles que querem agora derrubar a Dilma, pois guardariam as malvadezas como moedas de troca para 2018.

Caso o senhor Temer e o PSDB resolvam fazer uma verdadeira faxina ética e moral, apurando todas as bandidagens que foram praticadas nos últimos 13 anos, aí sim os comissários do PT pulariam nas tamancas. Rapidamente, em reação, divulgariam os dossiês que seriam verdadeiras bombas. Principalmente porque teríamos o PMDB na chefia do Executivo junto com o PSDB, gente sobre quem o PT alardeia saber muita coisa podre. Haveria uma barganha política, aquela do pior nível possível e que tem acabado com a nossa Pátria, com a nossa Nação, inviabilizando um País maravilhoso chamado Brasil.

A lógica pragmática de Lula é bem mais simples e imediata. Sacrifica-se a Dilma, que já está cansada mesmo desse fardo. Deixa-se o PMDB pilhar o País de maneira mais direta e explícita. O PSDB volta a sentir o gostinho do poder, algo tão almejado pelos já envelhecidos cardeais José Serra, Geraldo Alckmin, FHC e até o jovial Aécio. Os tucanos alimentariam, assim, as chances de enfrentar uma campanha eleitoral usando o poder da máquina - como fazia na era FHC.

As cúpulas decidem o jogo no tapetão. Novamente vemos aquele cenário em que nenhuma das “ditas autoridades” pensa no futuro da Nação Brasileira, no destino promissor da Pátria Brasil. Comportam-se como as hienas se revezando na pilhagem estatal, fazendo jogos de aparências e de cena, com brigas e disputas falsas para se manterem no podre poder. Mais uma vez, fica claro que não temos oposição, mas sim mera "composição".  As zelites brasileiras não aprendem e, pior, não querem aprender. O Capimunismo Rentista as satisfaz.

Cassar a Presidenta Dilma é tapar o sol com a peneira. Dilma não é a causa dos males. Ela é consequência da falha estrutural do modelo estatal brasileiro. Por isso, ser cassada pelo senhor Eduardo “Contas na Suíça” Cunha é desmoralizar por completo aquilo que parece ser um arremedo de processo democrático brasileiro. Aliás, até no caso do pau no Cunha tem rigor seletivo. O Ministério Público da Suíça já enviou ao Brasil a relação de várias pessoas que tiveram movimentações suspeitas naquele paraíso fiscal decadente. Segundo o próprio Cunha, nesta relação existem diversos parlamentares. Ele reclama porque só ele está sendo “crucificado”.

A presidente Dilma, inclusive a todo instante, lembra que não é ela que está sendo acusada de manter contas não declaradas na Suíça. Ninguém com o mínimo de seriedade ou inteligência pode imaginar que depois de cassada por gente desta “pouca qualidade política”, o PT não vai trabalhar e provavelmente conseguir demonstrar que houve um "golpe" contra a (pretensa) democracia (regime que o Brasil ainda não conhece plenamente).


Mesmo nessa farsa de discurso, Lula e o PT vão ganhar o argumento eleitoral de que eles foram vítimas de um "golpe" praticado pelos corruptos investigados pela Polícia Federal por ordem de quem? Da Presidenta e de seu Ministro da Justiça. Novamente, a Petelândia voltaria a posar de "vítima das zelites". A novelinha do impeachment é oportuna para a encenação desta tragicomédia.

Por tudo isto, qualquer um que defender a cassação da presidente Dilma como "solução efetiva" acaba se transformando, mesmo sem querer, em um cabo eleitoral antecipado do senhor Lula para a aventura de 2018 (que só Deus sabe se ele terá saúde para encarar). O plano do $talinácio, se conseguir o retorno triunfal, será terminar de implantar o socialismo do século 21 (na prática um bolivarianismo radical, mas com o jeitinho brasileiro da esculhambação, inspirado nos ideais do Foro de São Paulo - que ele não teve coragem (ou condições) de fazer valer, de forma hegemônica, em seus oito anos de mandato, e nos primeiros quatro da Dilma, até agora.

Se Dilma sair ou for saída antes do tempo, dando lugar a Michel Temer, o chefão Lula ressurgirá como grande salvador das massas desempregadas, esfomeadas e injustiçadas. Pelo menos este é o script que petistas próximos a ele desenham. A quem interessa a volta de Lula ao Palácio do Planalto em 2018? Só interessa a ele mesmo e ao sistema que aparelha a máquina estatal capimunista no Brasil.

Pensemos bem e respondamos para a própria consciência: Quem deseja a volta de Lula à Presidência da República? Quem gostaria que as coisas fiquem do mesmo jeitinho que estão no Brasil da impunidade, ilegalidade e ignorância? Quem tem medo de pensar conceitos corretos? Quem teme as mudanças verdadeiras?

$talinácio quer saber de nada disso! Apesar do desgaste de imagem, Lula ainda não tem adversários a sua altura. Quem seria o presidenciável "oposicionista" para 2018? O nome ainda parece longe de surgir... A falta de lideranças políticas verdadeiras é o grande drama do Brasil. Além disso, qualquer um que ouse se mostrar como "opositor", com as regras atuais do jogo, será fulminado pelo sistema do crime organizado. Se o Brasil não mudar de verdade, o caos continuará operando a pleno vapor.

Na estrutura atual, o Brasil é inviável: com visão vagabunda de rentista, juros altíssimos, carga tributária absurda (92 impostos, taxas, contribuições e infindáveis instruções normativas ou portarias ministeriais), gritante insegurança jurídica e desgovernança sistêmica do crime organizado. Infelizmente, ainda estamos longe da verdadeira Democracia - definida como o Império da Lei, da Segurança do Direito, através do exercício ético da razão pública.

Por isso, o primeiro e nada fácil passo é romper com o Capimunismo Rentista e patrimonialista, mudando a estrutura do Estado brasileiro que serve ao crime e não ao cidadão ou à sociedade. Só uma Intervenção Constitucional, pelo Poder Instituinte do Cidadão, tem condições de mudar o Brasil. Tal movimento só não pode se resumir a um "iluminismo de classe média" ou um "middle class wishfull thinking" - como sempre bem me adverte o cientista político William Carvalho.

O problema gigantesco que temos pela frente é: nossas elites, não se comportando como tais, não demonstram maturidade para definir e liderar o processo de mudança do caos para o pleno desenvolvimento de fatores políticos e econômicos. Assim, o Brasil segue sem rumo, na velha sina de País do futuro (mas que não cuida do presente e ignora as besteiras do passado, repetindo-as de tempos em tempos.

Let's sing

O Rei Roberto Carlos e Isaurinha Garcia fazem uma homenagem a Dilma recebendo a carta de Michel Temer - que ele deixou vazar...


Descendente

Lema do Lobão no Facebook, com direito a caixa alta e negrito:

"QUEM COM O 13 FERE,COM O 13 SERÁ FERIDO. DIA 13, TODO O BRASIL NAS RUAS A BRADAR: FORA DILMA, FORA PT!"

Apelidos


Incredulidade


Martirizado


Problema numerológico


Irmão Temer

 Irregular na Maçonaria, quer tomar o lugar da Dilma...


fonte: http://www.alertatotal.net/2015/12/impeachment-ou-renuncia-de-dilma-com.html