domingo, 25 de novembro de 2012

Novo escândalo inclui venda de pareceres pela Advocacia Geral da União

O advogado geral da União adjunto, José Weber Holanda, braço direito do advogado geral da União, Luís Inácio Adams, é um dos principais alvos da Operação Porto Seguro da Polícia Federal (PF), deflagrada nesta sexta em Brasília e São Paulo. Policiais federais apreenderam documentos do gabinete do número dois da AGU, que fica localizado no mesmo andar da sala de Adams. Interceptações telefônicas e de e-mails levaram a PF a desmantelar o esquema de venda de pareceres públicos que pode ter sido utilizado por um ex-senador para manter o direito de permanecer em uma ilha no litoral de São Paulo. A investigação envolve um ex-senador e empresário, que queria regularizar a situação da ilha das Cabras, onde construiu uma mansão e um heliporto. Sendo um bem da União, cabe à AGU oferecer parecer a favor ou contra à operação. A Folha de S.Paulo apurou que o empresário, para regularizar a situação, pediu ajuda dos irmãos Rubens e Paulo Vieira, diretores das Anac e da ANA, que teriam indicado José Weber, advogado-geral adjunto. Em troca, o servidor seria contemplado com uma viagem de cruzeiro ao exterior. O processo também passa pelo Secretaria de Patrimônio da União, outro órgão investigado pela PF.Integra da reportagem

fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,oposicao-quer-ouvir-envolvidos-em-operacao-porto-seguro,964615,0.htm