sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

SOLUÇÃO 'BOLIVARIANA' PARA A PETROBRAS ABRE O CAMINHO PARA A VENEZUELIZAÇÃO DO BRASIL. RESTA SABER POR QUE SE CONCEDE LICENÇA PARA QUE DESTRUAM O BRASIL. By Aluizio Amorim



Esta é a questão que continua intocável
O atual presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, foi escolhido para comandar a Petrobras no lugar de Graça Foster. O governo havia informado que o Conselho de Administração da estatal se reuniria às 9h desta sexta-feira para escolher um nome que agradasse não só ao mercado, mas também que fosse alinhado à equipe de Dilma Rousseff. Contudo, a decisão saiu do Palácio do Planalto e não deve passar por crivo dos conselheiros. Trata-se, tudo indica, de uma escolha pessoal de Dilma que não corresponde, exatamente, ao que espera o mercado financeiro. As expectativas eram de que a presidente optasse por um nome técnico do setor de óleo e gás.
Caberá ao novo presidente, escolhido às pressas, selecionar os executivos que devem compor a diretoria da estatal, que renunciou na última quarta-feira.
Bendine é funcionário de carreira do BB. Entrou como estagiário e assumiu a presidência da instituição em abril de 2009, substituindo Antônio Francisco Lima Neto. Nos últimos meses, sua saída da instituição era dada como certa depois que seu ex-motorista afirmou ao Ministério Público Federal que teria realizado diversos pagamentos em dinheiro vivo a pedido do patrão.
Em janeiro, a Casa Civil exonerou Paulo Rogério Caffarelli do cargo de secretário executivo adjunto do Ministério da Fazenda. Ele é um dos cotados para comandar o Banco do Brasil neste segundo mandato da presidente Dilma Rousseff.
O mercado não recebeu bem a possível escolha de Bendine e as ações da Petrobras despencam mais de 5% nesta manhã de sexta-feira.
Mercado - Segundo analistas ouvidos pelo site de VEJA, porém, de nada adiantará a substituição da atual diretoria se os problemas urgentes não forem de fato enfrentados. É imperativo, por exemplo, que um balanço crível de 2014 seja publicado, pois a ausência do documento pode ter um efeito fatal para a companhia.
A saída de praticamente toda a cúpula da Petrobras é uma das consequências do petrolão – escândalo de corrupção na estatal que veio à tona na Operação Lava Jato. Na nova fase da Operação, divulgada pela Polícia Federal na quinta-feira, o ex-diretor da Sete Brasil, controlada pela Petrobras, afirmou que o PT recebeu, por meio de seu tesoureiro, cerca de 200 milhões de dólares em propina. Leia MAIS

A SÍNDROME DA AVESTRUZ
MEU COMENTÁRIO: É o que se pode qualificar de uma 'solução bolivariana' para o funesto e vergonhoso episódio de corrupção e roubalheira do erário. Entenda-se que a qualificação de "bolivariana" significa que o plano comunista do Foro de São Paulo para a América Latina permanece e, pelo que se vê, permanecerá intocável. Aliás, Lula e o PT são os parteiros, ao lado da ditadura cubana, desse monstrengo destinado a cubanizar todo o continente latino-americano.
Por alguma razão que a própria razão desconhece a grande mídia inteira ignora o esquema dito "bolivariano". No máximo falam, quando muito, de "bolivarianismo", mas o Foro de São Paulo por razões, repito, que a própria razão desconhece, é completamente ignorado e o PT segue sendo tratado como um partido político normal quando na verdade não é. O PT é um partido comunista revolucionário que tem um projeto de poder eterno que alcança todo o continente sul americano. Recomendo que vejam este documentário que postei nesta sexta-feira aqui no blog.
A  roubalheira na Petrobras, o mensalão e gatunagens correlatas se por um lado servem para o enriquecimento puro e simples de muita gente dentro e fora do governo petista, tem como fulcro a consecução daquilo que o Foro de São Paulo qualifica de "hegemonia", ou seja, o domínio completo pelo partido de todo o Estado brasileiro. 
Estamos vendo a economia nacional derreter. E isso faz parte do esquema do Foro de São Paulo. Tem sido assim em todos os países latino-americanos e o exemplo mais claro vem da Venezuela, onde o povo é castigado brutalmente pela escassez de alimentos e demais gêneros e mercadorias de primeira necessidades.
A isso conceituo como "cubanização". A escassez sempre foi uma forma de aniquilar qualquer tipo de reação das pessoas. Foi assim nas ex-URSS e seus satélites. Foi e é assim há mais de meio século em Cuba. O esfacelamento da economia é o mecanismo de controle social mais poderoso que existe na face da Terra. E a história é velha mas se repete. A única diferença é que na atualidade os atores sociais e políticos que no passado se rebelavam contra isso se transformaram em "sócios". Antevêem "grandes negócios" num sistema "bolivariano", como se constata há 12 anos no Brasil, desde o dia em que um suposto proletário subiu a rampa do Planalto.
Espero que os homens que conduzem a Operação Lava-Jato e, de forma muito especial o Juiz Federal Sergio Moro, que preside o inquérito, tire uns minutinhos de seu dia a dia atribulado para ler estas linhas que acabo de escrever.
fonte: http://aluizioamorim.blogspot.com.br/2015/02/solucao-bolivariana-para-petrobras-abre.html