quarta-feira, 18 de julho de 2012

Corrupção em Portugal -Zé Dirceu andou fazendo consultoria por lá


 o zé dirceu andou fazendo consultoria para os politicos portugueses, e portugal outorgou titulo de doutor honoris corruptus causa ao Sr. Luiz Ignácio Lula.
vejam como está a situação por lá nos links a seguir.


Eis um Homem! (T3 - Ep.39)
http://videos.sapo.pt/kzZH4Ua8qCjuDPNQkL9a
«Paulo Morais, ex-vice-presidente da CM do Porto e
vice-presidente da ONG "Transparência e Integridade" diz que o parlamento é o grande centro da corrupção em Portugal e que a corrupção é a verdadeira causa da crise. Entrevista de Luís Gouveia Monteiro.»



Paulo Morais, ex-vice-presidente da CM do Porto e vice-presidente da ONG "Transparência e Integridade" diz que o parlamento é o grande centro da corrupção em Portugal e que a corrupção é a verdadeira causa da crise. Entrevista de Luís Gouveia Monteiro.
 http://videos.sapo.pt/kzZH4Ua8qCjuDPNQkL9a 

| Corrupção: Relatório Inédito Arrasa Políticos
| Combate abaixo do esperado num país desenvolvido é uma das principais conclusões
http://www.agenciafinanceira.iol.pt/politica/tvi24-relatorio-governo-ultimas-noticias-corrupcao-politicos/1345992-4072.html

O combate à corrupção em Portugal apresenta «resultados mais baixos do que seria de esperar para um país desenvolvido, considera um relatório de uma organização não governamental que vai ser apresentado na segunda-feira.
O relatório do Sistema Nacional de Integridade considera mesmo que a «cunha» já é uma «instituição» entre os colegas de Governo.
Apesar dos «esforços», traduzidos na produção de legislação, muitas das novas leis «estão viciadas à nascença, com graves defeitos de conceção e formatação», o que as torna «ineficazes», acrescenta o documento produzido pelos Sistema Nacional de Integridade (SNI), constituído por entidades públicas e privadas e elementos da sociedade empenhadas no combate à corrupção.
O trabalho, inédito em Portugal, conclui que o combate à corrupção «está enfraquecido por uma série de deficiências» resultantes da «falta de uma estratégia nacional de combate a esta criminalidade complexa».
«Nenhum Governo até hoje estabeleceu, objetivamente, uma política de combate à corrupção no seu programa eleitoral, limitando-se apenas a enumerar um conjunto de considerandos vagos e de intenções simbólicas», acrescenta.
O relatório português insere-se numa iniciativa da organização Transparency International, que se desenvolveu noutros 24 países europeus e que em Portugal foi realizado pela associação Transparência e Integridade, centro INTELI ¿ Inteligência e Inovação e Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa.
Reflete o tratamento dado a cerca de quatro dezenas de entrevistas a personalidades de diferentes setores de atividades, que vão desde o Provedor de Justiça, a magistrados, juízes, dirigentes de organismos estatais, professores universitários e jornalistas, entre outros.
As iniciativas legislativas tomadas «não têm travado a corrupção, nem têm diminuído o destaque desde fenómeno na comunicação social, nem têm alterado a perceção sobre a incidência e extensão da corrupção na sociedade portuguesa», acrescenta o texto.
Este resultado surge pela «fraca capacidade», tanto da comunicação social como da sociedade civil, para acompanhar os processos de produção de legislação e «denunciar a má qualidade dos diplomas», acabando por permitir a produção de diplomas «inócuos».
Além de encontrar «falhas graves», a avaliação do SNI conclui que essas lacunas «põem em causa a legitimidade e o desempenho global das instituições».
Como exemplos aponta o que acontece com a repressão criminal e com a Justiça, onde a falta de coordenação e de comunicação diminui a capacidade de investigar e de prevenir a corrupção, ou a falta de formação e especialização adequada dos agentes que trabalham na área.
Na política existe «uma total irresponsabilidade dos eleitos face aos eleitores» e as promessas de combate à corrupção «são abaladas» por leis que permitem o branqueamento de capitais e por declarações de rendimentos e de interesses que «não correspondem à realidade».
Somados, estes fatores resultam na «falta de honestidade para com os cidadãos e pela falta de sancionamento» das irregularidades praticadas pelos políticos.
Para acabar com esta realidade, o SNI defende uma maior fiscalização da parte do Parlamento aos registos de interesses de deputados e membros do Governo e o alargamento do regime de incompatibilidades aos membros que integram os gabinetes governamentais.»

#

http://youtu.be/6G_FIRBYBeY
| D. Januário Torgal Ferreira arrasa medidas do Governo
| 14 Out, 2011, 19:47 / atualizado em 14 Out, 2011, 19:56
"Em entrevista à RTP, D Januário Torgal Ferreira critica as opções do Governo para o Orçamento de 2012, que acusa de "falta de lucidez". "Sinto que a classe média em Portugal e os mais desfavorecidos vão ser perfeitamente esmagados", alertou o bispo das Forças Armadas. "Eu não sei se não estaremos a caminhar para o Apocalipse Now da Grécia"."


http://www.tvi24.iol.pt/politica/d-januario-torgal-ferreira-bispo-tvi24/1361893-4072.html
"D. Januário Torgal Ferreira diz que este governo é corrupto e não acredita em alguns ministros. Na TVI24, o bispo das Forças Armadas fala mesmo em diabinhos por comparação com o governo anterior.
«Há jogos atrás da cortina, habilidades e corrupção. Este Governo é profundamente corrupto nestas atitudes a que estamos a assistir», frisou, acrescentando: «Nós estamos numa peregrinação em direção a Bruxelas e quando tudo estiver pago daqui de Portugal sai uma procissão de mascarados a dizer: vamos para um asilo, salvem-nos».
«O problema é civilizacional, porque é ético. Eu não acredito nestes tipos, em alguns destes tipos, porque são equívocos, porque lutam pelos seus interesses, porque têm o seu gangue, porque têm o seu clube, porque pressionam a comunicação social, o que significa que os anteriores, que foram tão atacados, eram uns anjos ao pé destes diabinhos negros que acabam de aparecer», frisou no programa «Política Mesmo»."

| Ministro reage a D. Januário: «Apresentou queixa na PGR?»
| Aguiar Branco diz que tem de optar entre ser comentador político e bispo
http://www.tvi24.iol.pt/politica/aguiar-branco-d-januario-torgal-ferreira-corrupcao-tvi24/1362089-4072.html
"José Pedro Aguiar-Branco espera que o bispo tenha entregue provas na Procuradoria-Geral da República de que existe corrupção no Governo:
«O senhor bispo deve obediência às regras da Igreja e o falso testemunho não cabe nessas regras, por isso, para ser consequente, espero que tenha apresentado na Procuradoria Geral da República os factos que levam a essa acusação».
Mas o ministro também abre a porta de saída: «Espero sinceramente que faça uma opção, a de ser comentador político ou bispo das Forças Armadas»."


#

| Christine Lagarde and Nicolas Sarkozy embroiled in new Corruption Inquiry
http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/nicolas-sarkozy/9401446/Christine-Lagarde-and-Nicolas-Sarkozy-embroiled-in-new-corruption-inquiry.html
«The pair already face allegations that Miss Lagarde, the head of the International Monetary Fund (IMF), authorised a £270million payout to a prominent supporter of the former French president when she was his finance minister.
Now, they face a separate inquiry in a row over the amount of compensation that Mr Sarkozy’s government should have paid following the collapse of Itea, an insurance company, in 2009.
Xavier Musca, a financial expert, is said to have recommended to Miss Lagarde that Maurice Nussenbaum, another expert, receive the Legion d’Honneur, France’s top civilian award, so he would rule in the government’s favour in the trade dispute.
Mr Nussenbaum later produced a report assessing the loss of Christian Laurent, who ran Itea, at zero, rather than the €400million (£315million) he claimed.
Anti-corruption police in Paris have launched a preliminary inquiry after Mr Laurent filed a complaint against Mr Musca, who went on to become Mr Sarkozy’s chief of staff. Mr Laurent also indicated that he will take legal action against Miss Lagarde, although the complaint will have to be sanctioned by a dedicated legal body dealing with allegations against former ministers.
RELATED ARTICLES
Nicolas Sarkozy predicted police would come looking for him 04 Jul 2012
Sarkozy 'knew police would come' 04 Jul 2012
Police raid Nicolas Sarkozy and Carla Bruni's house 03 Jul 2012
Nicolas Sarkozy's offices and home raided by French police 03 Jul 2012
Nicolas Sarkozy's ex wife backs Valerie Trierweiler 30 Jun 2012
Mr Musca, who is now a senior executive at the French bank Credit Agricole, denies any wrongdoing and has pledged to counter sue with a “false accusation” claim against Mr Laurent.
Miss Lagarde took over as head of the IMF a year ago from Dominique Strauss-Kahn.
The prospect of yet another IMF chief appearing in court was first raised last year when the Court of Justice of the Republic, a tribunal qualified to judge the conduct of French ministers, said Miss Lagarde may have been guilty of abuse.
Miss Lagarde is said to have allowed the equivalent of £270million to be awarded to Bernard Tapie, a convicted football match fixer and tax dodger who supported her then governing UMP party.
Mr Tapie, the former head of Adidas in France, claims he was cheated out of millions by Credit Lyonnais bank when the sports kit empire was sold in 1993. In 2007, Miss Lagarde ended the long-running dispute by ordering a panel of judges to arbitrate and, in turn, they awarded Mr Tapie the damages.
Mr Sarkozy and Miss Lagarde deny any wrongdoing.»
| By Peter Allen in Paris - 15 Jul 2012



| Deputada diz que se "fodam os desempregados espanhoís"
http://videos.sapo.pt/FUWPqIyGzqZjNIY0Ja4z
«Uma onda de indignação percorre a sociedade espanhola. No centro do furacão está a deputada do PP Andrea Fabra, que gritou «que se j…» [«que se f...»] no parlamento aquando da leitura dos cortes nos subsídios dos desempregados por parte do primeiro-ministro Mariano Rajoy.»



| Este é a vergonha de todos os Dias. Esse nome devia simplesmente ser-lhe retirado!
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=3572032186557&set=a.1619892704290.2076973.1445586249&type=1&ref=nf

#