quinta-feira, 12 de julho de 2012

CUT ameaça ir às ruas para defender réus do mensalão

A CENTRAL ÚNICA DOS DEFENSORES DE CORRUPTOS E VAGABUNDOS, (CUT). ESTÁ AMEAÇANDO IR PARA AS RUAS EM DEFESA DOS MENSALEIROS "SE O JULGAMENTO DO MENSALÃO FOR POLÍTICO"
PARA A CUT, BASTA A CONDENAÇÃO DOS MENSALEIROS PARA QUE O JULGAMENTO FIQUE CARACTERIZADO COMO POLÍTICO.
Jorge Roriz.




CUT ameaça ir às ruas para defender réus do mensalão
09/07/2012

Folha de S.Paulo

O novo presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores), Vagner Freitas, 46 anos, diz que poderá levar às ruas a força da maior central sindical do país para defender os réus do mensalão, que começarão a ser julgados pelo STF (Supremo Tribunal Federal) em 2 de agosto.

"Não pode ser um julgamento político", disse Freitas à reportagem. "Se isso ocorrer, nós questionaremos, iremos para as ruas", acrescentou. Freitas será empossado presidente no congresso que a CUT realizará nesta semana em São Paulo.

A abertura do evento hoje deverá contar com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A central nasceu como uma espécie de braço sindical do PT nos anos 80 e a maioria dos seus dirigentes é filiada ao partido.

Vagner Freitas disse temer que o julgamento do mensalão se transforme em mais um campo de batalha entre os petistas e seus adversários, e afirmou que isso poderia colocar em risco os avanços sociais conquistados pelo país após a chegada do PT ao poder.

"Nós vivemos um bom momento político e a estabilidade é importante para os trabalhadores", disse o sindicalista.

"Não queremos um país desestabilizado por uma disputa político-partidária, entre o bloco A e o bloco B.

Se isso acontecer, a central não ficará de braços cruzados: "A CUT é um ator social importante e não vai ficar olhando", afirmou Freitas.

Em 2005, quando o escândalo do mensalão veio à tona, a CUT reuniu 10 mil pessoas em Brasília para uma manifestação em defesa do governo Lula.

O protesto foi organizado logo depois da queda do então ministro da Casa Civil, José Dirceu, um dos réus do processo no Supremo Tribunal Federal.

Congressos

Nos últimos meses, sindicatos ligados à CUT serviram frequentemente de palco para os réus do mensalão apresentarem sua defesa.

O próprio José Dirceu foi a congressos estaduais da central neste ano para falar sobre a conjuntura política do país e o julgamento.