sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

PREFEITURA VAZIA - Prefeito de Holambra acusa antecessora de saque


Godoy também pretende enquadrar a ex-prefeita na Lei de Responsabilidade Fiscal

Foto: Alessandro Rosman/AAN
Prefeito de Holambra e computador sem disco rígido
Prefeito de Holambra e computador sem disco rígido
























O prefeito de Holambra, Fernando Fiori de Godoy (PTB), irá denunciar à polícia a antiga Administração por saque de patrimônio público. A decisão foi tomada após a nova equipe chegar ao Paço Municipal para trabalhar, na manhã de ontem, e não encontrar computadores, mesas, cadeiras, aparelhos de televisão e documentos. O computador do Gabinete do prefeito, por exemplo, estava sem o disco rígido. A sala anexa foi encontrada vazia, sem mesa de reuniões.




Godoy também pretende enquadrar a ex-prefeita, Margareti Rose de Oliveira Groot (PPS), na Lei de Responsabilidade Fiscal. De acordo com o novo chefe do Executivo, Margareti não pagou o salário de dezembro dos servidores, um valor de R$ 2,2 milhões. A Prefeitura, segundo Godoy, foi entregue com apenas R$ 500,00 em caixa. O prefeito afirmou ainda que a dívida de contratos com empresas, credores e folhas de pagamento deve ultrapassar R$ 10 milhões. A reportagem do Correio tentou contato com a antiga administração, mas não obteve retorno. Aliados disseram que os equipamentos levados foram pagos pela prefeita.

A nova equipe afirmou que não tinha noção da atual situação do Paço Municipal porque não houve processo de transição. “Procuramos diversas vezes a prefeita para fazer a transição. No primeiro contato ela disse que iria colaborar, mas depois não nos recebeu mais. Encontramos a Prefeitura saqueada”, afirmou Godoy. O boletim de ocorrência contra a antiga administração será feito após funcionários do mandatário concluírem o inventário dos objetos e documentos que sumiram do Paço.