quarta-feira, 16 de março de 2016

É GUERRA!! LULA E DILMA DECLARAM GUERRA AO POVO BRASILEIRO AO (DAR 3o. MANDATO) EMPOSSAR UM CRIMINOSO COMO MINISTRO E IMPLANTAM A DITADURA CONSOLIDADA PELO STF.

É GUERRA!! LULA E DILMA DECLARAM GUERRA AO POVO BRASILEIRO E IMPLANTAM A DITADURA CONSOLIDADA PELO STF.,
LULA DISFARÇADO DE MINISTRO, ASSUME 3o MANDATO E FOGE DO JUIZ MORO...ACRESCENTO: ELE E DILMA DÃO UM TAPA NA CARA DOS BRASILEIROS-DE-DOMINGO...

Protesto em frente ao Planalto agora. Dilma Rousseff mandou a tropa de choque conter os deputados da oposição. Por pouco não aconteceu um confronto.





"Alvo de uma denúncia por lavagem de dinheiro e falsidade ideológica e na mira dA Lava Jato, LULA decidiu nesta quarta-feira assumir o Ministério da Casa Civil do governo Dilma. A manobra garante ao petista FORO privilegiado - e o livra das mãos do juiz federal Sergio Moro, que conduz as ações da Lava Jato em Curitiba. Já Dilma, que há muito não governa, apenas se contorce em manobras para permanecer no cargo, entrega ao antecessor o pouco poder que lhe restava. A nomeação de Lula, oficialmente tratada pelo governo como uma estratégia para evitar o impeachment, coloca o petista no mais importante ministério do governo - pasta que o PT transformou em uma usina de escândalos desde que chegou ao poder. Pouco mais de cinco anos após tomar posse pela primeira vez, Dilma inverte a propalada 'faxina' a que deu início quando assumiu a Presidência: em vez de expulsar do governo alguém pilhado em malfeitos, a presidente abre as portas do Planalto a quem foge da Justiça.(...) "Com Lula sendo ele próprio um dos alvos principais das apurações do petrolão, Jobim atuaria mais do que nunca na linha de frente no "controle de danos" na Lava Jato.O ministério assumido por Lula articula o funcionamento interno do governo e os interesses do Planalto no Congresso. Caberá ao ex-presidente, que costuma indicar ministros a Dilma Rousseff, referendar ou não nomeações a diretorias de estatais e a cargos no segundo e terceiro escalões do governo. A liberação de emendas parlamentares, decisiva em votações de interesse da Presidência no Congresso, e a negociação delas com os parlamentares serão outras das atribuições de Lula. O ex-presidente também deverá acompanhar o andamento de grandes obras e projetos do governo, como a usina de Belo Monte e o Minha Casa Minha Vida