quinta-feira, 3 de março de 2016

Recessão brasileira ganha características de “depressão absoluta”, diz Goldman Sachs - por Weruska Goeking

Queda no PIB per capita caminha para pior período desde a "década perdida de 1980"
Alberto Ramos, economista do Goldman Sachs, vê Brasil entrando em depressão econômica (Goldman Sachs/Reprodução)

SÃO PAULO – A profundidade e extensão da recessão vivida pelo Brasil está adquirindo características de uma “depressão econômica absoluta”, segundo o Goldman Sachs.
A depressão é definida por uma longa recessão de pelo menos oito trimestres que leve a uma queda acumulada do PIB (Produto Interno Bruto) real de 10% ou mais.
“A recessão econômica que começou no segundo trimestre de 2014 completa sete trimestres e não dá sinais de abatimento. No fim de 2015, o PIB real foi 7,2% inferior ao observado no primeiro trimestre de 2014, no mesmo nível do quarto trimestre de 2010”, observa Alberto Ramos, economista do banco norte-americano.
Ramos acredita que o desempenho da atividade econômica no primeiro trimestre de 2016 deve levar o Brasil à “marca d’água” da depressão ao completar uma recessão de dois anos com queda acumulada de 10% no PIB per capita.
O Goldman Sachs prevê recuo de 0,65% nos primeiros três meses deste ano em relação ao último trimestre de 2015. Com isso, a queda do PIB per capita real se aproxima dos dois dígitos, superando facilmente o tombo de 7,6% acumulado durante a “década perdida de 1980", que engloba o período entre 1981 a 1992.
Depressão
A possibilidade de depressão econômica no Brasil foi apontada por O Financista, em dezembro, em matéria que mostrava o efeito danoso do "subprime político" na atividade.
Usada para definir a crise de 2008, a palavra “subprime” foi empregada nos Estados Unidos para descrever os empréstimos imobiliários repassados de um banco para outro com selo de boa qualidade, mas que eram na verdade de baixa qualidade e suscetíveis à calote. Por aqui, o “subprime político” reflete a indefinição política que atrasou além do previsível as reformas fiscais propostas pelo ex-ministro da Fazenda, Joaquim Levy.
por Weruska Goeking

FONTE: http://www.financista.com.br/noticias/recessao-brasileira-ganha-caracteristicas-de-depressao-absoluta-diz-goldman-sachs