sexta-feira, 20 de junho de 2014

COMUNISTAS, SOCIALISTAS NUNCA DIZEM A VERDADE!!! VEJAM E MENTIRA DO CHAVEZ É A MESMA DO PT.

Link permanente da imagem incorporada

O Lula esconde isso do público, mas nos bastidores, ele assume que quer implantar o socialismo no Brasil, percebam tambem que o sujeito não fala errado, como ele faz quando está  com microfone e platéia, assistam esse video.


Lula disse a Walesa que vai implantar o socialismo, então acordem.

Escondendo a verdade sobre o que realmente acontece na venezuela.

Por que a mídia brasileira esconde que diariamente em quase todos os estados e cidades venezuelanas  tem ocorrido manifestações, e o governo maduro com seus agentes cubanos, farcs agem com truculência  e a secretaria dos direitos humanos do Brasil a Sra. Rosário, a Sra. Dilma, e o chefão do Foro de São Paulo. Sr. Luis $talinácio não abrem a boca contra a ditadura bolivariana, sem calam sobre as atrocidades, falcatruas e ainda defendem, ´da mesma forma que agem com a defesa dos mensaleiros da Papuda.
Tudo que percebemos é que mídia com 99% das redações são todos comunas, todos petralhas e adoram DITADURAS COMUNISTAS, SOCIALISTAS, o mais engraçado que nenhum deles querem morar na ILHA de FIDEL que eles adoram tanto. um bando de hipocritas, assim são os comunistas, socialistas nunca dizem a verdade.




Puerto Ordaz. Cerrada Calle Caruachi Alta Vista. Protesta 20J "


VEJAM QUE FALAR A VERDADE PARA ELES É UM SACRIFÍCIO ENORME, CONSIDERAM FALAR DEMAIS.

Para cúpula do PT, Gilberto Carvalho falou demais e deu munição aos adversários

Ministro contrariou Lula e disse que não havia só elite branca no Itaquerão

BRASÍLIA - Embora dirigentes do PT reconheçam que a avaliação não está de todo errada, a declaração do ministro da Secretaria Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, de que os xingamentos contra a presidente Dilma Rousseff, na abertura da Copa do Mundo, não partiram apenas da “elite branca”, repercutiu mal na cúpula do partido. Às vésperas da convenção que oficializará, sábado, a candidatura de Dilma à reeleição, a fala de Gilberto mina o discurso, encabeçado pelo ex-presidente Lula, de que as camadas mais ricas da sociedade estariam estimulando o ódio contra Dilma e o PT.
A avaliação na direção do partido é que Gilberto falou demais e deu munição aos adversários. Incomodou especialmente a afirmação do ministro, um dos mais próximos de Lula, de que a avaliação de que o governo é corrupto “pegou”. As declarações foram dadas em bate-papo com blogueiros, ativistas e jornalistas pró-governo, transmitido ao vivo pela internet, que tinha como tema o polêmico decreto presidencial que cria uma superestrutura de conselhos populares na administração federal.
- O Gilberto está meio fora da casinha! Depois de todo esse estrupício que fizeram com a Dilma na Copa, ela está melhor do que eu imaginava. Esta declaração está fora de propósito - criticou o vice-líder do PT, deputado José Guimarães (CE).
O líder do PT na Cãmara, deputado Vicentinho (SP), também reprovou as declarações de Gilberto Carvalho.
- Eu discordo dele. Eu vi no estádio que o povo não estava lá. Pode ter insatisfação, mas aquele palavreado (os xingamentos do estádio) não representa o povo de São Paulo. É coisa de gente pobre de espírito. Vai ver que ficaram chateados porque tiveram que andar de metrô e nunca tinham andado - reagiu Vicentinho.
Apesar disso, o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), concordou em parte com a avaliação feita pelo ministro:
- Não digo que os xingamentos tenham partido de outros segmentos, isso eu não concordo. Mas que esse mau humor contaminou outros segmentos, eu concordo. A nova classe média foi contaminada - disse o líder petista.
Em seu bate-papo com blogueiros, Gilberto afirmou que as denúncias feitas pela imprensa sobre aparelhamento do governo e a suposta leniência do PT com casos de corrupção tiveram impacto não só na elite, mas também nas classes mais baixas.
- Não fizemos o debate na mídia para valer. Passamos esse tempo todo com uma pancadaria diária que deu resultado. Essa pancadaria diária é o que resultou no palavrão para a presidente Dilma lá no Itaquerão. E me permitam pessoal! Lá no Itaquerão não tinha só elite branca não! Eu fui para o jogo, não no estádio, fiquei ali pertinho numa escola, para acompanhar os movimentos. Eu fui e voltei de metrô. Não tinha só elite no metrô não! Tinha muito moleque gritando palavrão dentro do metrô que não tinha nada a ver com elite branca - afirmou o ministro durante o bate-papo.
Líder do PMDB na Câmara, o deputado Eduardo Cunha (RJ) disse que não tinha como avaliar especificamente o episódio dos xingamentos porque não estava no estádio, mas concordou com Gilberto quanto à disseminação do mau humor em relação à Dilma:
- Não há dúvida que a rejeição à Dilma aumentou. Isso está nas pesquisas - disse ele.
A oposição usou as declarações do ministro para tentar desgastar o governo. O líder do PSDB na Câmara, deputado Antonio Imbassahy (BA), disse que Gilberto acabou desmentindo o ex-presidente Lula, que afirmara que as vaias tinham partido da elite:
- O ministro Gilberto desmentiu o seu ex-chefe, desmentiu o ex-presidente Lula. O homem de confiança de Lula deu um testemunho de que o povo está descontente - disse Imbassahy.
Para olíder do DEM na Câmara, deputado Mendonça Filho (PE), o ministro fez um mea culpa ao reconhecer que as vaias à presidente Dilma não foram apenas de uma parcela da sociedade com mais recursos financeiros.
- O ministro fez uma mea culpa do governo de forma reta, admitindo uma insatisfação que se percebe nas ruas. É uma realidade o fato de que há grande insatisfação e de que as vaias não foram isoladas - disse Mendonça Filho.



QUARTA-FEIRA, 18 DE JUNHO DE 2014

A água bateu na bunda do PT. Gilberto Carvalho está com medo do povo.

O nome da campanha para implantação o Programa Nacional de Participação Social, estabelecido pelo decreto chavista e golpista de Dilma, leva o nome dos movimentos de ocupação que transformaram o mundo numa bagunça nos últimos anos. O decreto  determina que sejam criados conselhos, a realização de conferências nacionais, audiências, entre outras sete formas de diálogo com a sociedade, para fazer consultas públicas antes de tomar decisões sobre temas de interesse da "sociedade civil".

Hoje, em evento com os movimentos sociais para discutir a Política Nacional de Participação Social, contrariando o discurso público e privado do governo, o ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência) afirmou nesta quarta-feira (18) que os xingamentos contra Dilma Rousseff na abertura da Copa do Mundo não partiram só "da elite branca. Segundo ele, a avaliação de que a gestão petista é corrupta "pegou", percepção que, partindo das classes alta e média, vem "gotejando" no setor mais pobre da população.

"Me permitam, pessoal, no Itaquerão não tinha só elite branca não. Não fui pro jogo, mas tive no Itaquerão, ao lado, numa escola acompanhando as movimentações, fui e voltei de metrô. Não tinha só elite no metrô. Tinha muito moleque gritando palavrão dentro do metrô que não tinha nada a ver com elite branca", afirmou Carvalho durante encontro com ativistas e blogueiros de esquerda no Palácio do Planalto.

"A coisa desceu. Isso que foi gotejando, de água mole em pedra dura, esse cacete diário de que inventamos a corrupção, de que nós aparelhamos o Estado brasileiro, de que somos um bando de aventureiros que veio aqui para se locupletar, essa história pegou. Na elite, na classe média, e vai gotejando, vai descendo. Porque não demos o combate, não conseguimos fazer o contraponto."

Na jogo entre Brasil e Croácia –abertura do Mundial, no último dia 12–, Dilma foi alvo de vaias e de xingamentos. O coro "ei, Dilma, vai tomar no cu" começou na ala VIP do estádio, mas se espalhou.

No dia seguinte, a presidente disse que os ataques partiram de gente que não representa o povo brasileiro. "O povo brasileiro não age assim. O povo brasileiro não pensa assim e, sobretudo, o povo brasileiro não sente da forma como esses xingamentos expressam. O povo brasileiro é um povo civilizado e extremamente generoso e educado."

Petistas, como o ex-presidente Lula, atribuem os xingamentos no estádio a integrantes das classes privilegiadas da população.

No evento dessa quarta-feira,que foi assistido por pouco mais de 1.000 pessoas pelo YouTube e tentou um tuitaço fracassado, Carvalho reclamou da "pancadaria" diária que o governo enfrentaria na mídia. "Do ponto de vista de governabilidade institucional, somos uma estrondosa minoria. E se você acrescenta que nós não fizemos o debate na mídia pra valer, nós passamos esse tempo todo com uma pancadaria diária que deu resultado. Essa pancadaria diária é o que resulta no palavrão para a Dilma lá no Itaquerão."

Segundo Gilberto Carvalho, essa eleição será a mais difícil de todas para o PT. "Porque ela [Dilma] enfrenta o resultado desse longo processo, e a correlação de forças vai ficando mais complicada pra gente nesse sentido." O ministro, que é o responsável no governo pela interlocução com os movimentos sociais, afirmou que "a capacidade de articulação com a sociedade é o único caminho capaz de compensar de alguma forma essa correlação de forças desfavorável do ponto de vista institucional."

O encontro no Planalto foi organizado como forma de defender as novas regras para montagem de conselhos populares, medida que vem sendo atacada pela oposição e por parte do Congresso sob o argumento de que o governo pretende aparelhar as decisões governamentais. (Folha Poder)