terça-feira, 24 de junho de 2014

Para André Puccinelli (PMDB), se CPI for a fundo, 'República cai'.

O Brasil quer que a CPI vá a fundo e não apenas uma CPIZZA onde não se diz nada... e fica por isso mesmo.


foto
Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado
André disse que escândalo da Petrobras, se apurado, derrubar a a República
Para o governador André Puccinelli (PMDB), se a CPI da Petrobras, instalada no Senado e na Câmara Federal, for a fundo nas investigações não sobrará nem a presidente Dilma Rousseff (PT) isenta, segundo reportagem na edição desta quarta-feira (18) do jornal Correio do Estado.  "Eu estive em Brasília, na convenção (...) e se puxar do fio da meada da Petrobras, ouvi de terceiros, que cai a República. Se forem a fundo”, disse ele.
Não é à toa que a presidente tem tido dores de cabeça com os escândalos da Petrobras, em que as principais denúncias são: suspeitas de superfaturamento e evasão de divisas na compra da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), em 2006, em que o ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, é acusado de ser o responsável pela negociação; indícios de superfaturamento na construção da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco; e indícios de pagamento de propina a funcionários da petroleira pela holandesa SBM Offshore, empresa de aluguel e operação de plataformas.

Em março, o Estadão divulgou documentos inéditos que revelaram que a presidente votou em 2006 favoravelmente à compra de 50% da polêmica refinaria de Pasadena, no Texas (EUA).
A petista era ministra da Casa Civil e comandava o Conselho de Administração da Petrobras.
Ao justificar a decisão ao Estado, ela disse que só apoiou a medida porque recebeu “informações incompletas” de um parecer “técnica e juridicamente falho”. Foi sua primeira manifestação pública sobre o tema. A reportagem é de Roberta Cáceres.