domingo, 29 de março de 2015

O Brasil começa a descobrir a verdadeira fase da Incompetenta.

Direitos, acaba se tornando uma palavra complexa, já que o Direito individual termina onde começa o de outra pessoa, e nem sempre se percebe esta tênue fronteira. De uns tempos pra cá a palavra Direito foi usada para mostrar a preocupação de um político com o povo. O político passou a dizer que é sempre a favor das minorias, e que luta pelos Direito das classes mais carentes. 

Nunca na história deste País se usou tanto este argumento de estar ao lado do Direito das pessoas, quando na verdade tudo não passa de marketing político. 

Só que quem faz o que quer, sem respeitar as pessoas, acaba um dia caindo do cavalo, e é o que estamos vivenciando hoje. Mesmo na hora de aplicar um remédio amargo para o povo, nossos políticos afirmam que não vão suprir Direitos, mas deixaram o povo sem o Direito de morrer. 

Morrer é um Direito? Claro que não, morrer é algo inevitável, contudo quem morre cedo hoje no Brasil vai deixar sua família sem os Direitos que ele conquistou com seu trabalho. 

Uma situação jamais vista em qualquer democracia do mundo. Somente em Países com sistema totalitário, é que o Direito do povo varia com o humor de quem comanda o País. 

Existem outras soluções para resolver o déficit da Previdência, no entanto ao escolher as viúvas o governo sabe que não terá reclamações, quem chora a morte do companheiro não tem tempo para reclamar, e como ninguém sabe quando vai morrer, não reclama com antecedência. 

A verdade é que no Brasil o crime compensa, e não estou fazendo apologia, esta é uma situação criada no embrolhio de nossas Leis, e com essas novas medidas de ajuste. Vejam um trabalhador com 40 anos voltando para casa é morto durante um assalto. O bandido acaba preso, a família do trabalhador só tem Direito a pensão até a mãe completar 44 anos de vida. O bandido recebe uma pena de 20 anos de cadeia, sua família recebe auxilio reclusão enquanto ele estiver preso, se cumprir a pena toda, seus familiares receberam o auxilio por 20 anos. O bandido não trabalhou honestamente, nunca contribuiu com a Previdência, mas sua família tem Direito ao auxilio reclusão, para a família da vitima que trabalhou contribuindo por mais de 20 anos nada. Para o bandido que continua vivo, os Direitos humanos, já a vitima o governo apaga sua passagem pela vida. 

Nas enquetes do Congresso mais de 95% da população quer o fim do auxilio reclusão, com a criação de um beneficio para as vitimas. Só que fazer a vontade do povo é algo impossível para este governo. 

Mas têm profissões onde o risco de morte é constante, o policial, o bombeiro, dentre outros, são pessoas que saem de casa para o trabalho com grandes chances de nunca mais voltarem, e apesar de se estudar um regime diferenciado para estas profissões do serviço público, na iniciativa privada como ficam vigilantes, e seguranças, que já trabalham com esta Lei vigente. De prático é que isso só serve de desestimulo para quem sonha em um dia trabalhar nestas áreas. 

Só que não vejo sindicatos reclamarem deste ponto, eles estão sempre falando da supressão de Direitos trabalhistas e nada sobre pensões. Todos dizem que é preciso uma reforma política, e é nesta reforma que encontro a explicação para este grande silêncio. Há maioria dos sindicatos quer o comunismo como forma de governo, e a grande piada é que tentam aliciar pessoas dizendo que eles terão mais Direitos nesta reforma. 

No comunismo não existe o ser individual, todos fazem parte da Pátria, ninguém deixa nada para os herdeiros, a Pátria é a dona de tudo. Por isso a onda para acabar com a família, lá aos 7 anos a criança deixa sua residência para estudar por conta da Pátria. Na escola faz um teste vocacional e passa a estudar para seguir esta profissão, não importa se depois ele descobrir que tem habilidade para ser um cirurgião, se o governo determinou que ele será sapateiro, ele morrerá consertando sapatos. 

O resultado é uma legião de trabalhadores descontentes, muitos viravam alcoólatras, também falta os laços de família, tudo é a Pátria. É a pátria de chuteiras, a Pátria educadora, mas a Pátria amada mãe gentil se torna apenas na Pátria que pariu. O comunismo fracassa no mundo por causa disto, menos na China onde se respeita a família, por isso esta grande diferença. O comunismo parecia acabado, mas pessoas que chegaram ao poder, como Hugo Chaves, trataram de ressuscitar o comunismo, para se eternizar no poder. Então entendo que as medidas Neo liberais do PT na verdade são mais um passo na direção de se implantar no Brasil uma Pátria bolivariana. Acabar com pensões agora, é só a antecipação do que eles vão fazer continuando no poder. E até os Direitos trabalhistas estão com os dias contados, no comunismo não existe a Justiça do Trabalho. E na falta de reclamação, e esclarecimento do povo, eles esperam conseguir fazer do Brasil um paraíso tropical, em uma nação bolivariana. Eles mandando, e o povo iludido trabalhando duro para o enriquecimento da classe dominante. 

Hoje de cada 5 reais que o governo arrecada, apenas 1 volta para o povo, se o governo consegue que 2, ou 3 reais cheguem para o beneficio de todos, não é preciso acabar com os Direitos de quem morre, ou fazer cortes no orçamento, o dinheiro circulante é suficiente para nos tirar do buraco que a corrupção, e o PT nos meteu. 

Afinal para quem nunca ia mexer nos Direitos, e está fazendo de modo errado, ter 60% de impopularidade é um grande castigo. Com isso o Brasil começa a descobrir a verdadeira fase da Incompetenta. 

Carlos Senna Jr
MTE JP 32447/RJ
carlossennajr@revistaamigosweb.com