quinta-feira, 5 de março de 2015

POR QUE A DEMOCRACIA ESTÁ EM RISCO NO BRASIL? -por Aluízio Amorim


A grande manifestação popular anti-PT no dia 1º de novembro de 2014. Abaixo a foto da capa da revista destacando a reportagem-bomba que abalou o Brasil: Lula e Dilma sabiam de tudo.
O procurador-geral da República Rodrigo Janot recomendou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que não abra investigações sobre um possível envolvimento da presidente Dilma Rousseff no petrolão, informa a edição desta quinta-feira do jornal Folha de S. Paulo. A presidente foi citada no depoimento do delator Alberto Youssef à Polícia Federal. Segundo a Folha, o nome de Dilma estaria entre os pedidos de arquivamento feitos por Janot. Na decisão, o procurador-geral teria levado em conta o artigo da Constituição que define que um presidente, na vigência de seu mandato, não pode ser responsabilizado por atos que não sejam relacionados ao exercício de suas funções.
O procurador-geral também pediu o arquivamento da investigação contra o senador Aécio Neves(PSDB-MG). Na avaliação de Janot, o tucano foi citado de forma genérica e sem a apresentação de indícios mínimos. Segundo a Folha, o procurador-geral sugeriu ainda o arquivamento do caso contra o ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). As solicitações de Janot serão analisadas pelo ministro Teori Zavascki, relator do processo da Lava Jato no Supremo.
Conforme revelou VEJA em outubro, Dilma e seu antecessor Lula foram citados pelo doleiro Alberto Youssef em seu processo de delação premiada. Perguntado pelos investigadores da Lava Jato sobre o nível de comprometimento de autoridades no esquema de corrupção, o doleiro foi taxativo: "O Planalto sabia de tudo!". "Mas quem no Planalto?", perguntou o delegado. "Lula e Dilma", respondeu Youssef.
Lista - Na noite de terça, Janot encaminhou ao Supremo 28 pedidos de investigação contra 54 pessoas, incluindo parlamentares suspeitos de terem recebido propina no escândalo do petrolão e autoridades sem direito a foro privilegiado. Houve sete pedidos de arquivamento. Os nomes dos presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), estão entre as autoridades alvos de pedidos de abertura inquérito pelo chefe do Ministério Público.
Apesar dos pedidos, a identidade da maior parte dos deputados e senadores apontados como beneficiários do petrolão ainda é mantida em sigilo. O relator do caso no STF, ministro Teori Zavascki, pretende nos próximos dias dar ampla publicidade aos nomes das autoridades investigadas, determinando que fiquem em segredo apenas situações que possam atrapalhar o andamento das apurações - como quebras de sigilo, grampos telefônicos e buscas e apreensões. Do site da revista Veja

A VENEZUELIZAÇÃO DO BRASIL?
Se prosperar a operação abafa-petrolão desencadeada pelo PT não há dúvida que a fragilização das instituições democráticas levadas a efeito pelo Foro de São Paulo podem ser maior do que se imagina.

O Foro de São Paulo é a organização esquerdista fundada por Lula e Fidel Castro em 1990, num congresso na capital paulista, destinada a transformar todos os países latino-americanos em repúblicas socialistas do século XXI, eufemismo que esconde, na verdade, a cubanização de todo o continente sul americano.

A Venezuela é o exemplo mais concreto da ação do Foro de São Paulo. A corrupção desenfreada com o assalto aos cofres públicos é o modus operandido esquema do Foro de São Paulo. Não se trata apenas de roubalheiras comuns, mas de uma forma de cooptar todos os agentes políticos e econômicos. O dinheiro público passa a comprar consciências viabilizando o aparelhamento completo de todas as instâncias estatais. 

Uma das características desse neocomunismo é ter como sócios empresários e banqueiros. O golpe contra o Estado de Direito democrático se dá por etapas. Foi assim que ocorreu na Venezuela, que é o exemplo mais evidente. Lá os Poderes Legislativo e Judiciário já estão completamente aparelhados, bem como as Forças Armadas.

Na Argentina também avança o sistema dito bolivariano. O caso Nisman mostra que já ocorre a eliminação física de opositores do regime. Na Venezuela já aconteceram vários assassinatos e já existem algumas dezenas de presos políticos, dentre eles o líder oposicionista Leopoldo Lopez. Mais recentemente o tiranete Nicolás Maduro mandou, sem mais nem menos, prender o prefeito de Caracas.

Os últimos acontecimentos no Brasil sugerem que o projeto do Foro de São Paulo permanece incólume e avançando. A obstrução aos trâmites legais para a apuração completa dos crimes do petrolão já é uma evidência concreta da fragilidade de todas as instituições democráticas. Virtualmente, já se vive numa ditadura socialista. 

Duas conclusões: 
1) a democracia brasileira corre um sério risco no Brasil. 2) A salvação da democracia brasileira depende de tão somente de duas providências: impeachment da Dilma e a proscrição do PT e de todos os partidos esquerdistas revolucionários.



fonte: http://aluizioamorim.blogspot.com.br/2015/03/por-que-democracia-esta-em-risco-no.html