terça-feira, 5 de agosto de 2014

ETERNA PERMANÊNCIA NO PODER

Não deixa de ser cômico e, acima de tudo, trágico que os últimos meses do governo petista no Brasil sejam marcados por uma crítica contundente dos rumos da economia nacional. Reparem que o incipiente movimento de oposição, fazendo uma força imensa para nascer, apega-se imediatamente àquilo que do ponto de vista revolucionário é, nesse momento, menos significante – a Economia. Não poderia ser mais irônico observar que os chamados liberais ou “libertários” que agora se opõem ao PT cometem exatamente o mesmo erro dos militares que, a partir de 1964, deixaram nossa cultura a mercê de um projeto gramsciano que colheu seus frutos em 2003. É esse o fato que explica posições capazes de sustentar, ao mesmo tempo, o “Estado Mínimo” e o casamento gay, o fim das cotas raciais mas a liberação do aborto, a continuação do Programa Mais Médicos e a derrubada do decreto 8243..e por aí vai..Essa é, meus amigos, a verdadeira confusão, a verdadeira salada de frutas, que tomou conta do pensamento dos que pretendem opor-se ao Partido-Religião no Brasil e o singelo objetivo desse artigo é, simplesmente, alertá-los para o fato de que permanece atenta a essas contradições toda a inteligência petralha que vai debochar dos adversários nas eleições de outubro.

Quando se pensa no movimento revolucionário é preciso, antes de tudo, atentar-se para uma silenciosa unidade do discurso..para uma coerência, muito discreta e ao mesmo tempo muito poderosa, que é capaz de reduzir ao ridículo e designar como retrógrada ou conservadora tudo aquilo que se opõem ao seu projeto de poder. Afirmo que existe, dentro de cada manifestação sobre economia, de cada projeto na área da saúde ou na educação, uma linguagem comum..uma codificação poderosa capaz de funcionar como uma espécie de cola que “gruda de maneira perfeita” tudo aquilo que precisa chegar até a população comum. São nesses momentos que se torna possível perceber o marxismo como aquilo que chamei de cosmovisão..como uma maneira muito específica de entendimento da realidade e que se debruça sobre ela (realidade) antes de tudo como uma linguagem moral..como uma poderosa crítica do ethos supostamente ausente nas sociedades capitalistas ou, como preferem os revolucionários tupiniquins, “neoliberais”.
Venho, recentemente, manifestando minha preocupação naquilo que diz respeito a essa falta de coragem ..a essa incapacidade crônica de apresentar-se como um adversário ideológico e não somente eleitoral do PT no Brasil. Percebo na classe política um medo imenso..uma covardia infinita que torna impossível a mínima discordância no que vem sendo santificado..naquilo que vem sendo dogmatizado e apresentando à sociedade como sendo praticamente inerente ao seu tecido moral. Tantos foram os anos de “bolsas”..tantas foram as ONGS e tão inúmeras as “inclusões sociais” que praticamente impossível tornou-se questionar sua mera continuidade..São, como se diz na linguagem popular, coisas que “vieram ficar”…”avanços sociais” ou “conquistas das classes oprimidas”que candidato algum ousa dizer abertamente que vai extinguir..”Não pode”…é “burrice”…é “perder voto” …e assim por diante – desculpas e mais desculpas por parte daqueles que querem em primeiro lugar eleger-se e, só depois e se necessário for, dizer definitivamente o que vem fazer no governo.
Mais de uma vez eu já disse a vocês que não sei em quem vou votar..Não sei sequer se vou votar em alguém mas sei, antes de tudo, em quem NÃO vou votar: não pretendo dar meu voto a nenhum relativista de última hora..a nenhum adepto da teoria de que “o inimigo do meu inimigo é meu amigo” e a nenhum apóstolo do pragmatismo que repete como um papagaio – “o importante é tirar o PT”…Tirar o PT de onde, meus amigos? Do governo ou do poder? A preocupação de vocês é com o governo? Acalmem-se: algo me diz que esses próprios bandidos estão, eles mesmos, convencidos das vantagens de afastar-se do Palácio do Planalto em 2015 e entregar o Brasil destruído economicamente ao PSDB, mas se a ideia de vocês diz respeito àquilo que me interessa (a luta pelo poder) aí a coisa muda de figura. Querem isso? Preparem-se para dizer não inclusive às pessoas de sua convivência diária no que diz respeito ao senso comum, ao politicamente correto e à covardia nacional que hoje nos caracteriza como brasileiros. Aprendam a diferença e preparem-se para pagar o preço sentindo antes de tudo a solidão dos considerados loucos..dos paranoicos e dos obcecados que discordam de Reinaldo Azevedo bradando em público que vamos todos rumo a uma ditadura comunista.
Governo e Poder não são a mesma coisa e o PT sabe perfeitamente a diferença entre os dois. Conhece tanto e tão bem esse assunto que já é capaz de aceitar o eterno revezamento no governo com os picaretas do PSDB e garantir, para sempre, sua eterna permanência no poder.
Porto Alegre, 2 de agosto de 2014

Milton Pires

Esta entrada foi publicada em BRASILCOMUNISMOECONOMIASOCIALISMO. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.


fonte: http://heitordepaola1.hospedagemdesites.ws/blog/?p=1223