terça-feira, 12 de agosto de 2014

Oi, eu sou do PT e quero dar um golpe. Sabe o que faço ?

Oi, eu sou do PT e quero dar um golpe. Sabe o que faço ?
1- Fundo o Foro de São Paulo e juntamente com meus camaradas das FARC, Cuba e Venezuela tramamos os passos do socialismo do século XXI.
2- Elejo um símbolo populista como Lula e chego à presidência.
3- Aperfeiçôo um programa que já existia e dou-lhe o nome de Bolsa Família, para garantir votos vitalícios e a miséria que os sustentam.
4- Uma vez eleito afago o empresariado com o BNDES enquanto causo a ira das inofensivas esquerdas mais radicais, mas tentando jogar pelos dois lados como manda um Governo de Transição.
5- Aprovo o Estatuto do Desarmamento quando 2/3 da população é contra e desarmo apenas cidadãos honestos, enfraquecendo a população civil em geral e deixando os bandidos com singelos Ar-15 e AK-47.
6- Uso o Lula para eleger a Dilma e quando o empresariado já virou um bichinho dócil de estimação contemplo mais aquelas esquerdas radicais, fingindo para os investidores que eu não sou uma delas.
7- Financio suas arruaças, assassinos do MST e escória da apologética gayzista, abortista, feminista e maconheirista representadas pelo PSOL – aquele partido que defende socialismo e liberdade ao mesmo tempo (?!?!?).
8- Assim semeio a discórdia e o caos na população, fazendo-a crer que existe uma gravíssima opressão social nunca antes vista na mesma (através de um coletivismo imposto por uma minoria vitimista, ressentida e sem amor-próprio, onde bandido é vítima da sociedade, todos são oprimidos e ninguém é responsável direto pelos seus atos e por sua consciência), de modo que pareça que as minorias são maioria e o caos seja uma pseudo-justificativa para num breve futuro instaurar uma “Reforma Constituinte”.
8.2- Crio um sistema de cotas no qual o direito adquirido por um negro hoje é retroativo e contempla escravos já mortos do século XIX e anteriores, punindo os brancos de hoje pelos erros dos brancos dos séculos passados, ao invés de oferecer educação pública de qualidade a todos. Mantenho ainda este sistema até a população escolar e acadêmica representar fielmente os 50,7% de afro-descendentes na sociedade - 50,6% não será suficiente e configurará racismo inaceitável.
9- Compro e aparelho institutos de pesquisas (IPEA, IBGE etc.) para este fim – caos e agitação social -, distorcendo os resultados das pesquisas (brasileiro é “machista-patriarcal-opressor-piramidal”, claro!).
10- Ainda seguindo os preceitos do meu ídolo Antonio Gramsci, vou doutrinando alunos de escolas de nível fundamental, médio e superior, familiarizando-os com o conceito de luta de classes e outras farsas marxistas e encorajando a militância de idiotas úteis.
11- Aparelho não só escolas, universidades (quem estuda Mises e Voegelin é ridicularizado e não ganha bolsa) e institutos de pesquisa, como aparelho o STF e todo o judiciário.
12- Continuo comprando a oposição com os mensalões da vida para me perpetuar no poder até a eternidade, quer dizer, até o Apocalipse do qual sou eu mesmo o catalisador.
13- Crio o programa Mais Médicos e escolho médicos, adivinha, de Cuba, e se forem agentes cubanos infiltrados de jaleco ninguém se surpreenderá.
14- Aparelho não só escolas, universidades, institutos de pesquisa, STF e judiciário, mas a mídia em geral.
15- Percebo que na verdade a população conservadora, cristã ou simplesmente honesta é muito maior que eu imaginava, de modo que tento calar vozes como a de Rachel Sheherazade cortando a verba do SBT, já que refutá-la com argumentos além do ad hominem - sempre em voga entre as esquerdas – é muito trabalhoso.
16- Aprovo o Marco Civil como instrumento de censura mais eficiente.
17- Enfraqueço a PM, o exército e as Forças Armadas, desmoralizando minha tropa e sucateando o material bélico nacional (mas continuo chamando o exército quando a coisa tá feia nas ruas).
18- Apoio a Ideologia de Gênero – PL 8035/2010 - como se fosse uma ciência (minha orientação sexual é fruto de coerção social, claro) e empurrando goela abaixo a ditadura gay a revelia da maioria, minando as bases familiares tradicionais e naturais, chamando quem não aceita calado de “homofóbico” e “fascista”.
19- Nesta minha saga contra a Família, aprovo outros absurdos como lei da Palmada - criando uma geração de mimados como na Suécia - e elimino o Dia das Mães (por enquanto só aqui em São Paulo), em claras tentativas de enfraquecer a Família como núcleo formador moral do ser humano, transferindo a formação do homem ao Estado como manda a cartilha marxista (claro, o PT ensinará muito bem a não roubar, por exemplo).
19.2- Dar uma palmada de vez em quando não pode, mas matar antes de parir deve ser permitido - a partir de um trato na lei n.12.845/2013: a autonomia para decidir sobre o próprio corpo só vale para a mãe, para o filho não. Isto e mais um pouco em nome do que eu chamo de Progresso, que não é uma idealização neo-positivista mas um fato histórico e do qual eu sou o único agente e o resto é só reacionário-coxinha.
20- Com o exército fraco e com população desarmada aprovo o projeto 276/02 de livre trânsito de Forças Armadas Estrangeiras no Brasil sem autorização do Congresso.
21- Ameaço de morte todos os que discordam de mim, Romeu Tuma Jr., Joaquim Barbosa etc.
21.2- Para mim, Slavoj Zizek é o maior pensador vivo e só perde para Valeska Popozuda.
21.3- Financio um “projeto cultural” que vulgariza a obra de Machado de Assis, substituindo as palavras difíceis pelas corriqueiras, em vez de substituir o nível da educação de seus leitores.
21.4- Funk é cultura. Tudo é cultura. Arte é cultura. Arte é funk. Tudo é arte.
22- Falo mal do agronegócio sendo que é ele que me sustenta e que uma vez gerido pelo MST, afunda, como na verdade já aconteceu, mas dou carinho a estes sem-terra que em 90% dos casos não querem é procurar emprego por lá.
23- Elimino a democracia pelo decreto 8.243, dando voz a “movimentos sociais” enquanto enfraqueço as verdadeiras instituições democráticas e o parlamento, composto de cidadãos eleitos legitimamente pelo povo.
24- Envio dinheiro e realizo obras em Cuba, Venezuela e Nicarágua, unindo o corpo da minha revolução bolivariana.
24.2- Jogo 1 bilhão de dólares da Petrobras no lixo e acho um absurdo se uma única voz surge para defender sua privatização em nome de uma gestão decente (privatização é um mal em si), desconhecendo que precisaríamos de séculos e mais séculos até o mesmo bilhão entrar no bolso de um capitalista-opressor-imperialista através do suposto crime ou pecado da “mais-valia”.
24.3- Marco encontro dos mais amistosos com o PCC, qual o problema? Se rolar uma cervejinha e um futebolzinho, melhor.
25- Na crise da estagnação econômica e pior, no auge do relativismo moral, finalmente fomento um plebiscito popular pela “Reforma Constituinte” sob alegação de que os parlamentares não representam a população – claro que eu, PT, represento.
26- Assim como na questão do desarmamento, o resultado do plebiscito não conta para a implementação do Golpe, que será exercido de qualquer jeito.
27- Tal como na Venezuela onde, elementar meu caro Watson, quem garantiu a lisura das urnas eletrônicas era sócio da empresa que fabricava as urnas na votação que elegeu o camarada Chavez, dou um jeito de sabotar as urnas eletrônicas também.
28- Regulamento a mídia (censuro mais ainda) modificando os artigos 220 e 221 da constituição, programada para o segundo mandato Dilmista. Sonho realizado. O Brasil vira uma Venezuela.
29- Tudo isso, claro, enquanto ando de Rolex e BMW e sou preso em prisão domiciliar, onde posso assistir meus filmes da galera opressora e imperialista de Hollywood, comendo meu Big Mac opressor enquanto completo a coleção de quadros de Stálin, Fidel e Mao Tsé-Tung na parede, na ilusão de que a perfeição e felicidade plena é possível neste mundo e que mais justiça só se faz necessariamente com mais socialismo e controle estatal.

Emerson Eduardo Rodrigues