quarta-feira, 5 de novembro de 2014

EM AGOSTO NINGUEM DEU ATENÇÃO PARA O FORO DE SÃO PAULO DESTE ANO - Foro de São Paulo começa com apoio a Dilma, Evo Morales e Tabaré Vázquez

Representantes de partidos políticos e movimentos sociais de esquerda debatem cenário eleitoral da América Latina. Lula envia vídeo de apoio ao presidente da Bolívia e ao candidato à sucessão de Mujica

CARLOS BARRIOS/ABI
forosaopaulo_carlosbarrios_abi.jpg
Vice de Morales, García Linera afirmou que o neoliberalismo é um arcaísmo para a América Latina
La Paz – O 20º encontro do Foro de São Paulo começou hoje (28) em La Paz com um pedido de apoio nas urnas para a presidenta Dilma Rousseff, para o presidente da Bolívia, Evo Morales, e para o ex-presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, que em outubro buscarão nas urnas novos mandatos em seus países. Delegações de partidos e movimentos sociais de 180 países estão reunidos até amanhã na capital boliviana. 

O apoio aos três candidatos foi a mensagem central dos discursos dos dirigentes políticos progressistas de vários países e das organizações sociais na inauguração do foro, realizado pela primeira vez na Bolívia.

Em mensagem gravada em vídeo para a reunião, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu aos bolivianos que nas eleições gerais de 12 de outubro votem em Morales, que governa desde 2006 e aspira um terceiro mandato até 2020.

Lula acrescentou que no Brasil também há "uma eleição muito importante" que esperam ganhar, em referência à campanha de Dilma, que governa desde janeiro de 2011 e quer conseguir um segundo mandato.

Além disso, o ex-mandatário pediu aos membros do foro um debate sobre a defesa dos avanços sociais democráticos regionais e a importância da integração da América Latina por meio dos mecanismos da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) e da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac). "Nosso desafio em outubro é eleger Dilma, Tabaré e Evo Morales", afirmou a secretária-executiva do Foro de São Paulo, a brasileira Mônica Valente, em seu discurso inaugural.

Vázquez, que governou o Uruguai entre 2005 e 2010, buscará um novo mandato nas eleições de 26 de outubro pela Frente Ampla, para dar continuidade ao governo de seu correligionário José Mujica.

Os debates do Foro de São Paulo se desenvolverão entre hoje e amanhã com uma agenda centrada na elaboração de um programa de esquerda para "derrotar a pobreza e a contraofensiva imperialista, e conquistar a paz e a integração" na América Latina, segundo seus organizadores.
O vice-presidente da Bolívia, Álvaro García Linera, celebrou na abertura o momento da América Latina. "Hoje estamos assistindo aos 24 anos de nascimento do foro, a uma lenta mas irreversível decadência da hegemonia norte-americana. Os Estados Unidos não são mais, de maneira genérica, um modelo pós-neoliberal, falar do neoliberalismo na América Latina cada vez mais se assemelha a falar de um arcaísmo. É quase como falar do Jurassic Park."
O Foro de São Paulo, que congrega 100 partidos de esquerda da América Latina, nasceu em 1990 na capital paulista e teve entre seus principais impulsores o ex-presidente Lula.