domingo, 2 de novembro de 2014

FOLHA DE SÃO PAULO -UM JORNAL A SERVIÇO DO PT - A IMPRENSA GOLPISTA DO PT Jornalistas petistas cobrem protesto anti-PT




 A mentira uma hora cai!

Espalhem. O caso "Folha de SP" já foi resolvido. Público pífio? Ameaças de "intervenção militar"? Nada disso. Apenas o repórter GUSTAVO URIBE, amigo de DELUBIO SOARES e funcionario da FOLHA DE SP dando sua versão dos fatos.

Que vergonha...

Perfil do repórter no face: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=410753702341378&set=a.410753682341380.92420.100002202560387&type=1&theater






Todo seu histórico petista é levantando nessa excelente postagem do blog "reaçonaria". Não sobrou pedra sobre pedra. O rapaz é um contumaz crítico de todos aqueles que se opõe ao governo petista. Seu twitter é aquele típico depósito de material "mamãe sou hipster cínico playboy que ri de quem se opõe a esquerda por motivos estéticos". Em suma, tudo aquilo que já esperávamos...




FONTE: Link: http://polibiobraga.blogspot.com.br/2014/11/veja-quem-esta-por-tras-da-reportagem.html


Milhares de pessoas foram às ruas de São Paulo hoje, menos de uma semana após o resultado da eleição presidencial, protestar contra a escalada da corrupção e autoritarismo petista. Convocados por líderes diversos na internet, sem apoio de nenhum partido político ou entidade de classe, o protesto fechou a Avenida Paulista. E o que fizeram a Folha de São Paulo e O Estado de São Paulo, os dois maiores jornais do estado? Enviaram petistas para cobrir o ocorrido. Como resultado, ambos desqualificaram as pessoas presentes e procuraram uma forma de ridicularizar: afirmaram que os manifestantes pediam a volta da ditadura militar. A coisa foi tão porca e combinada que não conseguiram uma foto sequer em que localizassem cartazes assim e tanto a reportagem da Folha quanto a do Estadão conversaram com o mesmo manifestante. E o mais interessante: os dois jornalistas, além de petistas, são muito próximos. Vejam a seguir.
Gustavo Uribe, da Folha de São Paulo - (cliquem para conhecer suas contas no Twitter eFacebook)
GustavoUribe_FolhadeSP
Gustavo Uribe, petista enviado pela Folha para cobrir evento contra crimes do PT
Gustavo Uribe pode ter várias competências, de onde partem suas atribuições na Folha de São Paulo. O certo é que o jornalista é especialista na editoria “esculachar quem não vota no PT”. Vejam algumas reportagens dele:
26/10 – “Vitória de Dilma é recebida com lágrimas na sede do PSDB em São Paulo“. A reportagem que consagrou a foto de uma militante tucana chorando tem a assinatura de Gustavo Uribe. Quem diria que membros de um partido que perdeu por tão pouco receberiam com tristeza uma derrota eleitoral, não é mesmo?
28/10 – “Para ‘musa da derrota’, seu sonho de país foi adiado” – Não bastasse a exposição irônica na reportagem anterior, Gustavo voltou para pisotear a militante. Usou “musa da derrota” no título, caracterizou-a como “rica” (“mora no Morumbi, bairro nobre da capital, onde Aécio 86,5% dos votos válidos“);
12/08 – “Erro no Facebook associa ‘Picolé de Chuchu’ a perfil oficial de Alckmin” - A “situação inusitada” ocorrida em uma rede social, e que durou poucas horas, foi destacada pelo jornalista. Nesta época já estava bem claro que dificilmente Alckmin não se reelegeria no primeiro turno mas não custa nada tirar uma casquinha né?
Em suas contas nas redes sociais, Gustavo está sempre ao lado do PT. Por exemplo, quando se criou uma página de humor contra José Serra, ele divulgou. Quando Rachel Sheherazade era o maior problema do país para quem era petista, ele seguiu a manada e publicou o seguinte post:
Militante em suas reportagens, Gustavo Uribe condena Rachel - que é paga para dar opinião
Militante em suas reportagens, Gustavo Uribe condena Rachel – que é paga para dar opinião
Vejam os termos usados por ele em um post no twitter:
Gustavo Uribe vê a luta de classes: manos vs coxinhas. Ele é o quê?
Gustavo Uribe vê a luta de classes: manos vs coxinhas. Ele é o quê?
Ricardo Chapola, do Estado de São Paulo – (cliquem para ver seus perfis no Twitter e Facebook)
Enviado do Estadão, Ricardo Chapola não conseguiu trazer uma foto de manifestantes pedindo intervenção militar
Enviado do Estadão, Ricardo Chapola não conseguiu trazer uma foto de manifestantes pedindo intervenção militar
Enquanto seu amigo da Folha tem um viés mais cômico dos não-petistas, Ricardo tem em seu histórico uma reportagem com intuito de destacar tudo aquilo que os desabone de forma mais direta ao destacar anônimos e irrelevantes que xingaram o nordeste em redes sociais após a vitória de Dilma em 2010 (aqui). Vale lembrar que quando o PT perde em São Paulo são dirigidas várias ofensas aos paulistas não por manés de redes sociais mas artistas, jornalistas e autoridades petistas (leiam “A esquerda abomina e xinga São Paulo“). E isto nunca ganha reportagem na imprensa golpista.
Assim como Gustavo Uribe, Chapola também foi à sede do PSDB cobrir o acompanhamento da apuração dos votos. Assim como Gustavo Uribe, Ricardo Chapola conversou com a mesma militante “aos prantos” e o mesmo empresário Erik Sanchez. A reportagem está aqui.
Trabalhando em empresas concorrentes, Gustavo Uribe e Ricardo Chapola entrevistam coincidentemente a mesma pessoa em duas ocasiões
Trabalhando em empresas concorrentes, Gustavo Uribe e Ricardo Chapola entrevistam coincidentemente a mesma pessoa em duas ocasiões. Sempre em reportagens que ridicularizam quem é contra o PT.
Ricardo Chapola possui um blog de crônicas no Estadão. Um passeio pelos títulos das mais recentes postagens dão bem o tom de suas preferências partidárias. Dar opinião em uma coluna própria não é nenhum problema, estranho é o jornal, sabendo de suas preferências, enviá-lo para uma reportagem que obviamente as contraria. Vejam alguns posts do blog dele:
- “MIS” – Post ridicularizando pessoas que reclamaram de uma instalação do MIS;
- “Ciclofaixa” – Subtítlo  “Alvo de críticas aqui, digna de elogios acolá”;
- “Água Santa” – O trecho abaixo, de um diálogo entre São Pedro e São Paulo sobre a falta de chuvas:
São Pedro engasgou-se enquanto bebia, dando um salto para frente ao ouvir o amigo. Recomposto, levantou a voz:
 - E daí? Já votei mesmo na Dilma, qual o problema? E por causa disso deixei quem não votou sem água? Dê uma olhada sobre seu muro, veja seus vizinhos. Santa Catarina me ligou agradecendo pela chuva. Conspirar a esse ponto, Paulo?
- Você votou na Dilma? Não acredito! E no segundo turno, vai de quê? Aécio, né? – questionou, certo de que o amigo tinha revisto conceitos.
- Dilma de novo, óbvio – disse Pedro, convicto.
- Você é louco. A mulher acabando com o País, trucidando a economia, enterrando a principal empresa do País. Não vê a barbaridade?
- Vejo, mas ainda assim prefiro deixar como está.
Após a eleição, vejam a chamada para uma crônica dele, como se pedisse pelo fim dos embates políticos – ou seja, que ninguém mais fale mal do PT.
Chapola_petistapedepaz
O curioso é que Chapola foi entusiasta dos protestos de junho, ao menos enquanto estes eram comandados pela extrema-esquerda. Esse tweet espirituoso comprova o ânimo dele então:
Chapola_Chuchu
Ricardo Chapola e Gustavo Uribe
Não foi apenas a preferência política que fez com que Ricardo Chapola e Gustavo Uribe fizessem reportagens parecidas e citando o mesmo personagem dos protestos. Os dois são amigos, ou trabalharam juntos. Vejam os tweets abaixo:
Chapola_uribe1Chapola_Uribe2Chapola_Uribe3
Chapola_Uribe4
Chapola_uribe5




A VERDADE QUE A FOLHA E O ESTADÃO ESCONDEM.