segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Entenda o que é Ditadura Militar, Ditadura do Proletariado(Socialista/Comunista), Direta e Esquerda

Uma breve discussão sobre "ditadura" militar, "direita", "esquerda", golpe comunista neste país e a possível necessidade de uma Intervenção Militar:

No Brasil não existe uma "direita" perfeitamente caracterizada. Há partidos, sim, de esquerda radical, e outros de centro-esquerda e centro-direita. Muitos pensam que o Nazismo, por exemplo, era um movimento de extrema direita. Ledo engano! Nazismo nada mais é do que uma abreviação de Nacional-SOCIALISMO e suas características eram muito mais próximas do comunismo soviético do que de ideologias de direita.

A maioria dos apoiadores da esquerda é composta por militantes que muitas vezes não sabem nem escrever direito e costumam criticar uma "ditadura", mas apoiando outras: Cuba, Venezuela, China, Irã etc. Para esses e outros "inocentes" lamento dizer: sinto muito, mas os seus livros e professores de História simpatizantes da esquerda (comunismo) transmitiram a vocês e a outros ensinamentos muito equivocados e que eram convenientes para a reafirmação da ideologia que eles nutriam e defendiam!
Na época da chamada "ditadura" militar, de acordo com minhas recordações e com as de todos que conheci, vivíamos muito bem. Não havia a violência e a criminalidade que vemos hoje em dia, tão avassaladoras. A "censura" impedia que a pornografia e algumas manifestações culturais de gosto duvidoso penetrassem nas famílias e corrompessem sua integridade. E agora, o que nossas crianças aprendem desde cedo? Funk e outros "estilos musicais" que incitam a violência e o sexo, apenas para mencionar os mais contundentes. Resultados: milhões de adolescentes grávidas precocemente e sem saber quem são os pais de seus filhos, mais assaltos, mais crimes e mais mortes.

Na época da "ditadura", meu pai ganhava três salários mínimos como motorista de uma empresa de agropecuária estatal (federal) e, a despeito da inflação, conseguiu manter uma família de seis pessoas muito bem, nada faltava. Hoje o salário mínimo é uma vergonha e incapaz de prover a manutenção de um indivíduo, quanto mais de uma família! Quem odiava a "ditadura" militar eram, entre outros, alguns poucos vagabundos que não queriam trabalhar e desejavam a liberação das drogas ilícitas, ou os subversivos alienados que ansiavam pela implantação do comunismo no Brasil.

Infelizmente parece que os anseios dos esquerdopatas serão atendidos, visto que estamos de fato caminhando a passos largos em direção a uma verdadeira ditadura vermelha bolivariana totalitária neocomunista. Os meios de comunicação de massa, o judiciário, o legislativo, os órgãos públicos e outras instituições: tudo sendo silenciosa e gradualmente aparelhado em consonância com os princípios formulados por Gramsci. O Brasil mantendo relações íntimas com países onde imperam ditaduras sanguinárias com a restrição de, entre várias coisas, a liberdade de seus povos.
Assim vai consolidando-se cada vez mais o "ideal" da "Grande Pátria" concebido no Foro de São Paulo. Estamos cada vez mais próximos de um cenário macabro caracterizado por recessão, diminuição da oferta de emprego e renda, fuga de capitais, retorno da inflação e perda de credibilidade do país no cenário internacional. Tudo isso culminando com a queda do padrão de vida da classe média, que trabalha e gera impostos que mantêm o Estado funcionando, e posteriormente a deterioração mais agressiva da qualidade de vida dos mais pobres. O Brasil entrará em colapso! A única "vantagem" do comunismo é distribuir de maneira igualitária a miséria.


P.S.: Lembrando aos desavisados, alienados e/ou menos esclarecidos que Intervenção Militar é algo previsto na Constituição e não é sinônimo de "golpe" militar!