quarta-feira, 3 de outubro de 2012

CUT em aliança politica prepara greve dos metroviários para quinta feira ás vésperas das eleições

Sindicalistas safados, PilanTras, que vivem às custas do dinheiro do trabalhador mas que não trabalham, inventam programa social para alfabetização que leva mais grana que Secretaria de Educação da grande maioria das cidades do Brasil, fazem maracutais e somem com o dinheiro. É esse o sindicalismo do Partido dos Trambiqueiros. E agora, querem perturbar a ordem e gerar o caos e causar tumulto na cidade de São Paulo em vésperas de eleições (3 dias), paralisando o metrô, dizendo
 que a greve nada tem de política. hahahahahahahahahaha. Querem que os paulistanos engulam o fracassado candidato e apoie o mensaleiro lulla lelé molusco podre. VÃO TRABALHAR VAGABUNDOS ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! Vamos pessoal, encher a caixa de mensagens da CUT E DO SINDICATO DOS METROVIÁRIOS (FILIADO À CUT) e não vamos deixar esses palhaços brincarem com os paulistanos. SAFADOS, PILANTRAS, TRAMBIQUEIROS, PATIFES, PARTIDÁRIOS, APOIADORES DE LADRÕES E ASSASSINOS DO POVO.

LINK DO CIRCO DA CUT--> http://www.cut.org.br/fale-conosco
LINK DO CIRCO DOS METROVIÁRIOS --> http://www.metroviarios.org.br/site/index.php?option=com_contact&Itemid=26

CUT recebeu quase R$ 50 milhões para projeto de alfabetização

BRASÍLIA A Central Única dos Trabalhadores (CUT) recebeu quase R$ 50 milhões para um projeto de alfabetização e, diante da falta de execução de parte do programa, precisou devolver dinheiro aos cofres públicos. A Petrobras repassou R$ 26 milhões à entidade sindical entre 2004 e 2007, por meio de três convênios, dinheiro destinado ao projeto Todas as Letras. Já o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), vinculado ao Ministério da Educação, encaminhou outros R$ 23,9 milhões. A CUT devolveu, então, R$ 339,6 mil à Petrobras e R$ 4,5 milhões ao FNDE. Agora, o Tribunal de Contas da União (TCU) concluiu que "não há elementos suficientes para atestar a boa e regular aplicação" dos R$ 45 milhões restantes, que ficaram com a entidade para alfabetizar jovens e formar alfabetizadores. A CUT terá de devolver dinheiro mais uma vez, conforme acórdão aprovado pelo TCU na quarta-feira.
No caso dos convênios firmados com a Petrobras, tomadas de contas especiais do próprio tribunal vão definir o tamanho do rombo e o montante que deve regressar aos cofres da estatal. O ministro relator do processo, Aroldo Cedraz, entendeu ser necessário aprofundar as investigações sobre os repasses do FNDE à CUT e, por isso, encaminhou os autos ao ministro José Jorge "para adoção das medidas que entender cabíveis". Os convênios com o fundo objetivaram alfabetizar 80 mil jovens e formar 3,2 mil alfabetizadores, em cada parceria firmada. É o mesmo mote dos convênios com a Petrobras.

As tomadas de contas especiais, para calcular o montante que deve ser ressarcido à estatal e identificar quem são os responsáveis pelos desvios, devem atingir outras três entidades financiadas, além da CUT: Instituto Nacional de Formação e Assessoria Sindical da Agricultura Familiar (Ifas), que recebeu R$ 1,6 milhão; Cooperativa de Profissionais em Planejamento e Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental (Colmeia), financiado com R$ 1,7 milhão; e Cooperativa Central de Crédito e Economia Solidária (Ecosol), que corre o risco de ser obrigada a devolver os R$ 350 mil recebidos da Petrobras. O acórdão do TCU diz que a estatal deve exigir prestação de contas em caso de convênio ou patrocínio para projetos de interesse social.

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) negou ontem, em comunicado, qualquer irregularidade nos convênios firmados com a Petrobras, pelos quais recebeu R$ 26 milhões entre 2004 e 2007. A CUT alegou que cumpriu todas as etapas do convênio e e apresentou comprovações dos serviços executados. A central sindical disse que foi convidada pelo MEC a participar do programa, que teria sido supervisionado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e acrescentou que tem documento da Unesco reconhecendo sua importância.

Os recursos a serem devolvidos se referem ao projeto Todas as Letras, que integrou o Programa Brasil Alfabetizado, do MEC.
A CUT disse que desde o início do diálogo com o MEC deixou claro que "os recursos previstos pelo FNDE não eram suficientes para garantir a qualidade da execução de um projeto nas dimensões do que o Todas as Letras concebia. (...) Por esta razão, é que buscamos parcerias complementares".
Em nota, a Petrobras disse que "não existem irregularidades ou beneficiamento político-partidário nos convênios citados, o que será provado pela companhia no andamento do processo". (Colaborou Bruno Vilas Bôas)

Por Vinicius Sassine (vinicius.jorge@bsb.oglobo.com.br | Agência O Globo – sex, 28 de set de 2012

http://br.noticias.yahoo.com/cut-recebeu-r-50-milh%C3%B5es-projeto-alfabetiza%C3%A7%C3%A3o-124906253.html