terça-feira, 23 de abril de 2013

Alvaro Dias critica covardia e cumplicidade do governo em relação aos brasileiros presos na Bolívia


O senador Alvaro Dias (PSDB-PR) anunciou em Plenário, na sessão desta segunda-feira (22/04), que vai apresentar requerimento na Comissão de Relações Exteriores para ouvir o embaixador da Bolívia sobre a prisão de doze torcedores brasileiros. 
O senador também cumprimentou a TV Bandeirantes por exibir no programa “Canal Livre”, neste domingo (21/4), a situação real dos brasileiros acusados da morte do torcedor boliviano Kevin Espada e fez duras críticas ao governo brasileiro pela passividade, cumplicidade e até mesmo covardia com que vem se comportando em relação à defesa desses torcedores. Falando com indignação, o senador tucano fez um relato dos maus tratos e humilhações sofridas pelos brasileiros na prisão de Oruro, na Bolívia. 

De acordo com as revelações feitas no “Canal Livre” pela advogada dos torcedores Maristela Basso, os brasileiros são submetidos até mesmo a torturas na prisão, sendo obrigados a ficar no pátio, sem roupas, diante dos outros presos, durante as noites frias, assim como são mantidos em porões, mesmo com alguns mostrando quadros de grave enfermidade.
 Para Alvaro Dias, a prisão dos brasileiros, arbitrária e ilegal e tachada por ele de um verdadeiro “sequestro”, caminha paralelamente ao asilo concedido pelo governo brasileiro ao senador oposicionista Roger Pinto. 

O senador boliviano mora há quase um ano na Embaixada do Brasil em La Paz, após ter feito denúncias sobre a relação promíscua entre membros do governo de Evo Morales e narcotraficantes. “O governo Morales já invadiu refinarias da Petrobras, em um ato que não teve qualquer resposta do governo brasileiro. Agora, em franco revanchismo por conta da concessão de asilo a um senador oposicionista, o governo da Bolívia submete os torcedores presos a torturas e humilhações. 

Essa prisão é uma afronta ao Brasil, é um sequestro de brasileiros e o governo do PT age covardemente, com passividade, covardia, cumplicidade. O que há por trás dessa prisão?” questionou o senador tucano. Alvaro Dias apontou como grave a recusa do governo boliviano em autorizar uma inspeção no estádio por parte da equipe de defesa dos torcedores brasileiros. 

Os advogados, no entanto, conseguiram reverter a decisão na Justiça. “O Embaixador provisório Eduardo Saboia declarou que tinha ordens para não concordar com a inspeção, em nome do governo do Brasil. E disse que não tinha que dar explicações porque era simplesmente um servidor cumprindo ordens. Isso é muito grave! Por que esse conluio do governo do Brasil com o governo da Bolívia?”, indagou Alvaro Dias. 

O senador tucano também sugeriu uma audiência pública com a advogada Maristela Basso, que pretende entrar com uma representação na Organização dos Estados Americanos (OEA), denunciando o que considera um claro desrespeito aos direitos humanos na Bolívia. 
Alvaro Dias elogiou a postura do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que foi à Bolívia há alguns dias tentar se reunir com o presidente Evo Morales, mas ficou esperando por mais de 20 horas, e foi recebido apenas pelo procurador-geral da Bolívia, Ramiro Guerrero. “O que aconteceu não foi um desrespeito apenas com o ministro, mas com o Brasil. Tudo isso é afronta ao nosso país. 
A postura do governo boliviano é contra o Brasil, e o governo Dilma age covardemente. A Bolívia vive uma frágil democracia, tanto é que um senador da República é obrigado a se asilar na embaixada de outro país! E qual é o comportamento do nosso governo? É de absoluta complacência, é de cumplicidade. 

É surpreendente o descaso que há no nosso País. São seres humanos que lá estão submetidos a uma situação de desumanidade, de violência, em razão de serem brasileiros. São brasileiros, e por isso sendo maltratados na Bolívia; a Bolívia das refinarias invadidas pelos militares; a Bolívia dos carros roubados no Brasil e comercializados naquele país; a Bolívia de agricultores brasileiros, que lá trabalham perseguidos; a Bolívia do narcotráfico, que infelicita famílias no Brasil. E o governo brasileiro se comportando com a passividade e a covardia que não se recomenda a qualquer governo de qualquer país”, finalizou o senador Alvaro Dias.
Alvaro Dias critica covardia e cumplicidade do governo em relação aos brasileiros presos na Bolívia

O senador Alvaro Dias (PSDB-PR) anunciou em Plenário, na sessão desta segunda-feira (22/04), que vai apresentar requerimento na Comissão de Relações Exteriores para ouvir o embaixador da Bolívia sobre a prisão de doze torcedores brasileiros. O senador também cumprimentou a TV Bandeirantes por exibir no programa “Canal Livre”, neste domingo (21/4), a situação real dos brasileiros acusados da morte do torcedor boliviano Kevin Espada e fez duras críticas ao governo brasileiro pela passividade, cumplicidade e até mesmo covardia com que vem se comportando em relação à defesa desses torcedores. Falando com indignação, o senador tucano fez um relato dos maus tratos e humilhações sofridas pelos brasileiros na prisão de Oruro, na Bolívia. De acordo com as revelações feitas no “Canal Livre” pela advogada dos torcedores Maristela Basso, os brasileiros são submetidos até mesmo a torturas na prisão, sendo obrigados a ficar no pátio, sem roupas, diante dos outros presos, durante as noites frias, assim como são mantidos em porões, mesmo com alguns mostrando quadros de grave enfermidade. Para Alvaro Dias, a prisão dos brasileiros, arbitrária e ilegal e tachada por ele de um verdadeiro “sequestro”, caminha paralelamente ao asilo concedido pelo governo brasileiro ao senador oposicionista Roger Pinto. O senador boliviano mora há quase um ano na Embaixada do Brasil em La Paz, após ter feito denúncias sobre a relação promíscua entre membros do governo de Evo Morales e narcotraficantes. “O governo Morales já invadiu refinarias da Petrobras, em um ato que não teve qualquer resposta do governo brasileiro. Agora, em franco revanchismo por conta da concessão de asilo a um senador oposicionista, o governo da Bolívia submete os torcedores presos a torturas e humilhações. Essa prisão é uma afronta ao Brasil, é um sequestro de brasileiros e o governo do PT age covardemente, com passividade, covardia, cumplicidade. O que há por trás dessa prisão?” questionou o senador tucano. Alvaro Dias apontou como grave a recusa do governo boliviano em autorizar uma inspeção no estádio por parte da equipe de defesa dos torcedores brasileiros. Os advogados, no entanto, conseguiram reverter a decisão na Justiça. “O Embaixador provisório Eduardo Saboia declarou que tinha ordens para não concordar com a inspeção, em nome do governo do Brasil. E disse que não tinha que dar explicações porque era simplesmente um servidor cumprindo ordens. Isso é muito grave! Por que esse conluio do governo do Brasil com o governo da Bolívia?”, indagou Alvaro Dias. O senador tucano também sugeriu uma audiência pública com a advogada Maristela Basso, que pretende entrar com uma representação na Organização dos Estados Americanos (OEA), denunciando o que considera um claro desrespeito aos direitos humanos na Bolívia. Alvaro Dias elogiou a postura do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que foi à Bolívia há alguns dias tentar se reunir com o presidente Evo Morales, mas ficou esperando por mais de 20 horas, e foi recebido apenas pelo procurador-geral da Bolívia, Ramiro Guerrero. “O que aconteceu não foi um desrespeito apenas com o ministro, mas com o Brasil. Tudo isso é afronta ao nosso país. A postura do governo boliviano é contra o Brasil, e o governo Dilma age covardemente. A Bolívia vive uma frágil democracia, tanto é que um senador da República é obrigado a se asilar na embaixada de outro país! E qual é o comportamento do nosso governo? É de absoluta complacência, é de cumplicidade. É surpreendente o descaso que há no nosso País. São seres humanos que lá estão submetidos a uma situação de desumanidade, de violência, em razão de serem brasileiros. São brasileiros, e por isso sendo maltratados na Bolívia; a Bolívia das refinarias invadidas pelos militares; a Bolívia dos carros roubados no Brasil e comercializados naquele país; a Bolívia de agricultores brasileiros, que lá trabalham perseguidos; a Bolívia do narcotráfico, que infelicita famílias no Brasil. E o governo brasileiro se comportando com a passividade e a covardia que não se recomenda a qualquer governo de qualquer país”, finalizou o senador Alvaro Dias.