sexta-feira, 12 de abril de 2013

Entidades entregam ao Congresso manifesto por financiamento público de campanha -A sociedade foi consultada?? sinceramente essas ONGs só podem estar a serviço do PT, partidos e do Governo.



Representantes do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), entregaram ao presidente do Congresso Nacional, um manifesto contra o financiamento privado de campanha.

Renan recebe manifesto contra financiamento privado de campanha



Agência Senado
O presidente do Senado, Renan Calheiros, recebeu nesta segunda-feira (8), do vice-presidente da Ordem dos Advogados do Brasi (OAB), Cláudio Lamachia, um manifesto em defesa do "financiamento democrático de campanha". O documento, subscrito por cerca de 50 entidades da sociedade civil, como a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) e a Central Única dos Trabalhadores (CUT), foi lançado em ato no início da tarde na sede do Conselho Federal da OAB, em Brasília.
O objetivo do manifesto, batizado de “Eleições limpas: Contra o financiamento privado e em defesa do financiamento democrático de campanhas”, é defender a realização de uma reforma política no país, com foco na instituição do financiamento público das campanhas, que exclui as doações de pessoas jurídicas do processo eleitoral. Nesta semana, a Câmara dos Deputados inicia a discussão de uma reforma política que, se aprovada, chegará em breve ao Senado.
O juiz de direito e cofundador do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), Márlon Reis, presente ao encontro, explicou que a proposta do manifesto é estabelecer regras que distribuam aos candidatos valores baixos em comparação às "quantias absurdas" gastas hoje nas campanhas. A distribuição também precisa ser feita de forma completamente transparente, com, por exemplo, publicação de prestação de contas em tempo real na Internet.


Essa proposta não é uma proposta não é uma proposta séria, somos contra o financiamento publico de campanha, bem como as doações por pessoas jurídicas, as empresas não votam. Os partidos que encontrem outro tipo de alternativa.  Isso é golpe com a desculpa de do Mensalão.  A sociedade foi consultada?? Com todo respeito ao MCCE e ao Juiz Dr. Marlon Reis, sinceramente essas ONGs, entidades só podem estar a serviço do PT, partidos e do Governo.  Eles não representam toda a sociedade brasileira.