quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

CAMPANHA ELEITORAL DOS PARTIDOS TUDO PAGA PELO POVO, ISSO É O COMUNISMO DO PT: Povo bancará R$ 1,3 bilhão de reais para o 'horário eleitoral' e o 'fundo partidário'


Juntos, esses outros dois sanguessugas do dinheiro do povo, 'horário eleitoral' e o 'fundo partidário', vão consumir R$ 1,3 bilhão em  2016.
Quem paga toda essa gastanças? Sim, você e todos nós, os contribuintes, caro leitor.
Até quando?
TV´S TERÃO DESCONTO NO IMPOSTO
***O benefício às emissoras que veiculam o horário eleitoral obrigatório é garantido pela legislação eleitoral (Lei 9.504/2007). O valor deduzido em imposto de renda corresponde a 80% do que as empresas receberiam caso vendessem o espaço para a publicidade comercial.
Enquanto as emissoras arcam com 20% dos custos, é como se cada brasileiro pagasse, indiretamente, R$ 2,88 para receber informações sobre candidatos e partidos políticos no rádio e na TV.
Entre 2002 e 2015, R$ 5,5 bilhões deixaram de ser arrecadados pela União por conta das deduções fiscais, em valores correntes.
No ano passado, a isenção foi de R$ 218,3 milhões. A “isenção” concedida às empresas de rádio e televisão é uma das mais altas na lista da Receita. Este ano, supera, por exemplo, os benefícios tributários para creches e pré-escolas, que têm previsão de R$ 72,7 milhões. Também é superior ao Fundos da Criança e do Adolescente, que terá isenção de R$ 323,4 milhões.
COMO SE JÁ NÃO MAMASSEM ABSURDAMENTE NAS TETAS PÚBLICAS, AINDA TEM REDUÇÃO DE IMPOSTOS COM O HORÁRIO ELEITORAL? REVEJA:
Com o PT no poder, Globo recebeu R$ 6,2 bilhões para fazer propaganda do governo. Veja também sobre outras TV´s

O custo total do ciclo eleitoral vai além dos gastos com campanhas e o Fundo Partidário.
Neste ano, quando irão acontecer eleições municipais, o governo federal prevê o ressarcimento de R$ 576 milhões para as emissoras de tv e rádio que transmitem o horário eleitoral.
Falta transparência
Não é possível saber quanto cada emissora deixa de contribuir com o espaço que “cede” para as propagandas políticas. De acordo com a Receita Federal, não é permitido divulgar qualquer informação sobre “a situação econômica ou financeira” de empresas. Segundo o órgão “o sigilo fiscal protege todo e qualquer item que esteja inserido no conjunto das informações que componham a situação financeira e econômica do contribuinte. (…) Toda e qualquer informação, mesmo que isoladamente, e num menor grau, acaba por expor uma realidade financeira ou econômica.” (Com informações de Contas Abertas)


fonte: http://folhacentrosul.com.br/brasil/9896/povo-bancara-r-1-3-bilhao-de-reais-para-o-horario-eleitoral-e-o-fundo-partidario