sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Atolada no Petrolão e alvo da Pixuleco II, Gleisi Hoffmann continua protegendo ex-assessor pedófilo por Ucho. Info



Fada madrinha – Sempre que pode, Gleisi Helena Hoffmannevita a imprensa e os locais públicos. A senadora petista sabe que em eventual aparição terá de prestar contas do seu envolvimento no Petrolão, denunciado pelo doleiro Alberto Youssef e pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa.
Gleisi também teme ser cobrada sobre as evidências que a Polícia Federal encontrou contra ela no escritório do seu advogado, Guilherme Gonçalves, durante busca efetuada no contexto da Operação Pixuleco II, décima oitava fase da Operação Lava-Jato. No escritório de Gonçalves, que embolsou R$ 7,2 milhões de um esquema corrupto autorizado pelo Ministério do Planejamento, durante o período em que o marido de Gleisi, Paulo Bernardo, era o titular da pasta, a Polícia Federal encontrou indícios que, em lugar de pagar honorários ao advogado, a senadora tinha as contas paga por ele. Tudo muito suspeito.
Nem mesmo todos esses encostos jurídicos e policiais tiram o ânimo de Gleisi Hoffmann de continuar a proteger Eduardo Gaievski, o ex-assessor pedófilo que a petista levou para a Casa Civil em 2012, com a incumbência de comandar as políticas do governo federal para crianças e adolescentes. Preso em 2013 pela prática de dezenas de estupros de menores, Gaievski, que já foi condenado a mais de 100 anos de prisão, tem ainda quatro processos sem sentença. Apesar de já ter tentado fugir, de ter orientado aliados a constranger testemunhas, ter tido parentes presos por tentativa de suborno a vítimas de seus estupros, está sendo tratado como um sujeito inofensivo, de ótimo comportamento e excelente índole.
Gaievski está preso na Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC), instituição de ínfima segurança, sem guardas e desprovida de câmeras de vigilância, localizada na fronteira com a Argentina e destinada a presidiários de baixa periculosidade e alta capacidade de recuperação. O “Monstro da Casa Civil”, como demonstra seu prontuário, está longe de ser o querubim barroco que tantos insistem em incensar. Atribui-se a proteção do PT, comandado por Gleisi, à situação privilegiada e confortável vivida pelo ex-assessor da senadora.


fonte: http://ucho.info/atolada-no-petrolao-e-alvo-da-pixuleco-ii-gleisi-hoffmann-continua-protegendo-ex-assessor-pedofilo