quinta-feira, 17 de julho de 2014

A Revolução importada: Risco para Segurança Nacional


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Antônio Ribas Paiva

O Governo Petista, por falta de “mão de obra”, está importando sua revolução de Cuba e do Haiti. Os combatentes importados, além de formarem a “guarda pretoriana” ideológica do regime petista, como ocorreu na Venezuela, vão disseminar o “spartaquismo” no Brasil e, no caso dos Haitianos, parte do contingente vai povoar os Quilombos artificiais, fomentados pelo Conselho Mundial das Igrejas, organismo internacional, fundado no início do século XX, com o objetivo de fortalecer o colonialismo e promover o Governo Mundial.

Atualmente, o colonialismo é mantido difusamente, com a política de “governo indireto”, através de títeres mas, o objetivo de implantação do Governo Mundial é claro.

Recentemente, a Polícia Civil do Estado de São Paulo, desbaratou, no centro da Capital, uma célula terrorista revolucionária de Cubanos e Haitianos, todos com documentação falsa. Os revolucionários foram presos e os seus fuzis apreendidos.

Estranho, que a mídia não tenha noticiado. A quem interessa o silêncio? Estariam, a suposta oposição e o Governo temerosos das conseqüências da notícia? Isso já ocorreu antes nos casos dos assassinatos políticos dos Prefeitos petistas de Campinas e Santo André.

Tudo leva a crer, que a chamada esquerda revolucionária, prevendo fragorosa derrota nas eleições, esteja importando combatentes de Cuba, do Haiti e da África, para conflagrar o Brasil e lograr o tão sonhado golpe de estado comunista. Neste terceiro milênio, tudo isso parece arcaico e despropositado, mormente, após a debacle econômica e política da antiga URSS, mas é a terrível realidade.
Diante desses fatos gravíssimos, estão com a palavra, e o dever de agir, as instituições responsáveis pela defesa da Soberania Nacional e da Nação Brasileira.
                  

Antônio José Ribas Paiva, Advogado, é Presidente da Associação de Usuários de Serviços Públicos.