quinta-feira, 31 de julho de 2014

DILMA CONFIRMA QUE NADA MUDARÁ OU SEJA DE MAU A PÍOR -Dilma rebate adversários e defende manutenção de número de ministérios


A presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, rebateu críticas de seus adversários na corrida ao Planalto e defendeu a manutenção dos 39 ministériosdurante entrevista coletiva realizada nesta quarta-feira (30) na CNI (Confederação Nacional da Indústria), em Brasília.

"Eles [ministérios] existem pelo seguinte motivo: se não tivesse a Secretaria da Micro e Pequena Empresa, eu não teria uma reforma com o foco na micro e pequena empresa e aprovação dessa lei de simplificação do Simples Nacional", afirmou a presidente.

Mais cedo, o candidato à Presidência da República do PSDB, senador Aécio Neves, afirmou que irá reduzir pela metade o número de pastas em seu eventual governo. O tucano, no entanto, não explicou como irá diminuir a estrutura ministerial. O candidato do PSB, Eduardo Campos, criticou a política de coalizão do governo Dilma, que troca o comando de ministérios por apoio de partidos.
Em resposta, Dilma questionou: "qual é o ministério que eles querem acabar? Quando eles disserem, a gente discute".

A presidente também defendeu a Secretaria dos Portos. "Se eu não tivesse um ministério dos Portos, eu não teria modelos específicos para os portos, e não um [modelo] no Ministério dos Transportes genérico."

Dilma destacou também a importância da Secretaria de Políticas para as Mulheres. Segundo ela, o status de ministério fortalece a luta contra a violência doméstica e é um espaço para articular todas as políticas e os órgãos de combate à violência de gênero.

Para a presidente, o status de ministério para a Secretaria de Direitos Humanos dá "respaldo" ao programa de combate à tortura e reforça medidas de combate à violação aos direitos humanos. 


Diminuição do número de ministérios