quarta-feira, 30 de julho de 2014

O que leva um partido retaliar seu próprio candidato ao governo do estado? Há algo de podre nas eleições em Alagoas

PTC vai à justiça contra candidato ao governo de seu próprio partido



Candidato a governador de Alagoas pelo PTC, o advogado Joathas Albuquerque está em “pé de guerra” com o diretório regional de seu partido. O imbróglio parece ter sido provocado por uma promessa de ajuda financeira não cumprida até o momento.
Por telefone, Joathas desabafou: “já disse que está tudo resolvido. A gráfica está resolvida e toda a campanha também. Agora quem quiser dinheiro, quem quiser ajuda, seja candidato a deputado ou senador terá de mostrar serviço, terá de cumprir metas. Só vou ajudar quem mostrar trabalho”.
De acordo com Joathas o dinheiro, fruto de doações, será controlado por ele e “mais ninguém”.
Joathas atendeu o telefone por volta das 19h desta terça-feira (29) e disse que estava no interior, em campanha. Por isso só estaria sabendo pela imprensa da crise instalada no diretório estadual do PTC – que quer que ele desista da campanha.
Mas independente do que foi dito, ele avisa que a renúncia está fora de cogitação: “sou candidato até o fim, ninguém vai me impedir”, avisou.
Em contrapartida, o presidente do Presidente Regional do PTC em Alagoas avisa que o partido deve adotar “medidas judiciais” para resolver o “imbróglio” com o candidato a governador da legenda no Estado, Joathas Albuquerque.
De acordo com Elias Barros, que além de presidente do partido é também candidato a senador, Joathas “surtou”.
As divergências entre o candidato a governador e o diretório regional do PTC só devem ser resolvidas na Justiça Eleitoral.  Joathas distribuiu nota com a imprensa e avisou que vai até o fim.
Já Elias promete pressionar: “Ele fez várias reuniões e demonstrou que não está preparado para a campanha. Temos várias gravações mostrando que ele fez promessas, inclusive financeiras, que não estão sendo cumpridas”, pondera.