segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Pizzaria Janot a serviço de corruPTos do Foro de São Paulo: Procurador-geral da República decidiu arquivar pedido de investigação das contas de campanha da presidente. Argumento não convenceu oposição.



Edição do dia 31/08/2015
31/08/2015 09h58 - Atualizado em 31/08/2015 09h58

Arquivamento de investigação sobre contas de Dilma recebe críticas


Provocou fortes reações a decisão do procurador-geral da República de arquivar um pedido de investigação das contas de campanha da presidente Dilma.
O argumento do procurador-geral para esse arquivamento recebeu muitas críticas e não convenceu os partidos de oposição, que lembraram que as suspeitas de irregularidades na campanha da presidente Dilma surgiram durante a Operação Lava Jato. E o ministro Gilmar Mendes disse que os fatos relativos à gráfica são graves e continuam graves e merecem investigação dentro e fora da Justiça Eleitoral.
No pedido, o ministro Gilmar Mendes argumentou que havia indícios de irregularidades na contratação de uma gráfica na campanha da presidente Dilma Rousseff. Mas o procurador-geral eleitoral, Rodrigo Janot, disse que o prazo para apresentar recursos já se encerrou e que as contas foram aprovadas em dezembro. Janot também considerou que os fatos não apresentam consistência suficiente que justifiquem a abertura de uma investigação.
No despacho, o procurador ressaltou a inconveniência de a Justiça e o Ministério Público Eleitoral se tornarem protagonistas exagerados do espetáculo da democracia e destacou que os atores principais devem ser os candidatos e os eleitores. Rodrigo Janot disse ainda que "não interessa à sociedade que as controvérsias sobre a eleição se perpetuem.”
Em nota, PSDB, PPS, SD e DEM criticaram a decisão do procurador-geral. Para eles, "o despacho do procurador parece querer dar lições ao TSE e às oposições.”
O procurador Rodrigo Janot ainda tem que analisar outro pedido do ministro Gilmar Mendes, ele quer que a Procuradoria-Geral Eleitoral apure suspeitas de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica na campanha da presidente Dilma.
Depois das reações, a Procuradoria-Geral divulgou uma nota dizendo que na análise não foram constatadas irregularidades praticadas pela gráfica e que por isso foi pedido o arquivamento. E disse ainda que outras representações continuam em andamento na Procuradoria.