segunda-feira, 20 de julho de 2015

Lula pressiona e sigilo é decretado sobre investigação que envolve BNDES e Instituto


Depois dessa, não há outra previsão senão a de que o Brasil vai viver momentos sombrios nos próximos meses...
Bastou o amigo da oncinha esbravejar que já desceu um cala-te-boca...
E Lula, MST e os bolivarianos infiltrados vão fazer os diabos, como já tinham prometido, e só por esse decreto de sigilo, já se pode ver que o dinheiro roubado dos cofres da república tem muito poder...
O povo Brasileiro não tem direito de saber tudo o que foi feito com o dinheiro do BNDES e, sobretudo, o que Lula fez com o dinheiro do BNDES em suas viagens para favorecer a corrupta empreiteira Odebrecht? Segundo a Procuradoria do DF, não. Por quê? Apenas motivos malemolentes são expostos. Nada mais a declarar.
***A procuradora da República Mirella Aguiar decretou na tarde desta sexta-feira (17) o sigilo da investigação que apura se o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva praticou tráfico de influência para beneficiar a empreiteira Odebrecht com obras no exterior.

Durante a investigação, a procuradora solicitou informações a vários órgãos, entre eles o Instituto Lula, a Odebrecht, o Itamaraty e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Alguns desses dados têm natureza confidencial, incluindo informações repassadas pelo BNDES e pelo Itamaraty. Por causa disso, houve a necessidade de decretar o sigilo para toda a investigação.
No último dia 8 de julho, a investigação preliminar aberta contra Lula avançou, sendo convertida em procedimento investigatório criminal (PIC). Ainda não há ação na Justiça. Com a instauração do PIC, é possível recorrer a procedimentos comuns numa investigação, como a quebra de sigilo.
Em abril, o Globo revelou que o ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht, Alexandrino Alencar, levou o ex-presidente Lula em um périplo por Cuba, República Dominicana e Estados Unidos, em janeiro de 2013. A viagem foi paga pela construtora e, oficialmente, não tinha relação com atividades da empresa nesses países. Investigado na Operação Lava Jato, que apura principalmente corrupção em contratos na Petrobras, Alexandrino foi preso em 19 de junho.
A suspeita é que Lula possa ter atuado junto ao BNDES e a agentes públicos estrangeiros para que a empreiteira conseguisse contratos no exterior. Na quinta-feira, tanto o Instituto Lula como a Odebrecht negaram irregularidades. Em 15 de maio, em resposta à PR-DF, os advogados de Lula chegaram a pedir a extinção do procedimento, alegando a ausência de elementos que o fundamentassem.
A DESCULPA PARA O SIGILO
Segundo a Procuradoria da República no Distrito Federal (PR-DF),  o objetivo é preservar a confidencialidade de parte das informações repassadas por empresas e órgãos públicos envolvidos no caso. (Com informações de O Globo)
fonte: http://folhacentrosul.com.br/post-politica/8344/lula-pressiona-e-sigilo-e-decretado-sobre-investigacao-que-envolve-bndes-e-instituto